21/07/2011 - 07h:55 Polícia procura fazendeiro desaparecido há dois meses

João e Dulcineia sumiram entre as cidades de Tesouro e Rondonópolis; suspeita é de assassinato

A Polícia Civil de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) está intensificando as investigações sobre o sumiço do agropecuarista João dos Santos Rodrigues, 59, e de sua namorada Dulcinéia Machado, 29. O casal desapareceu há dois meses e, até agora, não há nenhuma pista.

A Polícia acredita que os dois tenham sido assassinados. Eles foram vistos, pela última vez, no dia 19 de maio passado, quando seguiam de carro para a cidade de Tesouro (379 km ao Sul da Capital), próximo à Rondonópolis, onde moravam.

João e Dulcinéia, segundo as informações, viajavam na caminhonete F-1000, cor vinho, ano 94, placas KAO-0022, de Rondonópolis, que também desapareceu. Desde então, nenhum contato foi feito com a família, que reside no interior de São Paulo.

Familiares começaram a desconfiar do sumiço do casal após João não mais ligar para os parentes dele e dela, em São José do Rio Preto (SP). “Eles ligavam sempre para dizer que estavam bem, por onde estavam passando... Isso era um ato indispensável dos dois lados; havia um enorme afeto familiar de ambos os lados”, contou a sobrinha dele, Paula Mazzoni, em comunicado por e-mail.

Para a família, havia algo estranho, pois o casal não ficava tanto tempo sem entrar em contato. Diante da situação, um irmão do agropecuarista viajou de São José do Rio Preto para Rondonópolis, onde registrou queixa.

O delegado Henrique Meneguelo, do Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) de Rondonópolis, então, começou a trabalhar no caso. Ele descobriu que, semanas depois, um homem apareceu na cidade, dizendo que havia comprado uma das três fazendas de João, localizada no Vale do Prata, região Rondonópolis.

O homem teria dito que comprou a fazenda por R$ 300 mil e que tinha toda a documentação. O delegado quis ter acesso aos documentos da transação, mas o suposto comprador teria mudado de conversa, alegando que João teria vendido a propriedade rural "em sigilo".

Familiares explicaram que João teria muitos cheques de terceiros em mãos, pois fazia muitos negócios. Ele também seria proprietário de uma fazenda no Estado do Pará. Um dos cheques estaria com o suposto comprador da fazenda, que teria feito uma transação com a empresa Comando Diesel de Rondonópolis.

A Polícia Civil alerta quem tiver informações a respeito do casal ou mesmo da picape, deverá ligar para 190, 197 ou 3901 4825.

 

Mídia News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário