21/07/2015 - No PSB não tem caciques e Taques terá espaço para ser liderança nacional, diz Mendes

O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), defende a ida do governador Pedro Taques (PDT) para o PSB sob o argumento do amplo espaço que ele poderá ocupar nacionalmente na sigla. De acordo com Mendes, o PSB é um partido que não tem grandes caciques e, com a morte do ex-governador de Pernambuco e candidato a presidente da República Eduardo Campos, no ano passado, ainda busca novos líderes para representar o partido.

“Pedro Taques é uma liderança que já construiu uma carreira. Em sua rápida incursão como senador, conseguiu ser candidato a presidente do Senado, e se tornou governador 4 anos depois. Tem muita energia, muita vontade, muita determinação. E pode, cumprindo bem seu mandato de governador, quem sabe um dia, pensar em se transformar em uma grande liderança nacional. Com a obrigação cumprida, isso pode lhe credenciar para qualquer voo que ele possa dar no futuro. O partido tem espaço para isso, é democrático, não tem grandes caciques consolidados há anos”, afirmou.

Ao falar da ausência de caciques, Mendes não só exalta do PSB como também dá uma “alfinetada” na outra sigla que conseguiu a atenção de Taques para filiação, o PSDB. Recheado de líderes nacionais e presidenciáveis, a sigla tucana já possui um quadro bastante consolidado, no qual haveria pouco espaço para Pedro Taques se projetar nacionalmente, segundo avaliação de aliados do governador.

No entanto, a proximidade de Taques com o presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), levou a sigla a jogar alto para ter o governador, que recebeu convite para ser um dos vice-presidentes do partido. O PSB, por sua vez, também ofereceu a Pedro Taques um cargo na executiva nacional do partido. Com isso, ele teria poder de participar das decisões sobre os planos nacionais da sigla. 

Determinado a sair do PDT, Taques critica a posição do partido em manter-se na base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT). O governador também tem reclamado do pouco espaço que possui no PDT, como governador de Mato Grosso, para discutir as questõs de interesse do Estado no cenário nacional. 

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário