21/08/2014 - Taques vai à Justiça contra Riva para não ser mencionado com Operação Ararath

O embate eleitoral deste ano vai mesmo para a judicialização. Depois de dizer que não “bate boca com presidiário” e ouvir a resposta de seu adversário José Geraldo Riva (PSD) de que também tem envolvimento com a operação Ararath e, inclusive com o rumoroso caso Cooperlucas, o senador Pedro Taques (PDT) resolveu tomar outro caminho para não ver os adversários o criticarem: a Justiça.


Na terça-feira n chegada de Aécio Neves (PSDB) a Cuiabá, Pedro Taques deu o tom da baixaria ao dizer que não “bate boca com presidiário”. Resposta de Riva foi imediata, com o candidato acusando o desafeto e sua esposa de envolvimento com a mesma operação que o levou a ficar quatro dias preso em Brasília: a Ararath que visa combater um esquema de lavagem de dinheiro público através de empresas de factoring. A representação criminal tramitará no Juizado Especial de Cuiabá.


O advogado da coligação “Coragem e Atitude para Mudar”, Paulo Taques, apresentou na representação certidões da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Superior Tribunal Federal de que Pedro e Samira não seriam investigados na operação que atinge as principais autoridades do Estado nos mais variados poderes. “Todas as certidões demonstram que Taques nunca foi alvo de investigação e as imputações feitas por Riva são infundadas e os documentos afastam qualquer envolvimento”, disse.


A Ação de Taques se baseia na afirmação do procurador da República Rodrigo Janot, que chegou a informar que não há investigação alguma sobre o senador. Paulo Taques ainda explicou que, caso o senador estivesse sendo investigado, o MPF seria obrigado a prestar informações mesmo com a investigação sendo sigilosa. “Caso ele fosse investigado, a PF e Ministério Público tinha obrigação constitucional de informá-lo”, explicou.

Além de proibir Riva de falar qualquer coisa da operação e possível envolvimento, o senador ainda solicita na liminar que o deputado pague multa de R$ 20 mil cada vez que se referir a operação.


O senador pedetista também ingressou com uma ação por danos morais contra Riva por causa de uma entrevista dada ao programa MTTV segunda edição na última segunda-feira. “As afirmações criminosas de Riva ainda foram repercutidas pelos demais meios de comunicação em massa fato que deve ser levado em consideração”, diz a petição solicitando que Riva pague uma indenização de R$ 25 mil a Taques, valor que será revertido ao Asilo de Idosos ou Casa Lar Caminho Redentor.

 

 

 

Jonas Jozino | Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário