21/08/2015 - Empresário diz que Roseli ficava com 40% do dinheiro desviado

O empresário Paulo César Lemes, dono do Instituto de Desenvolvimento Humano e do Instituto Concluir, fez acordo de delação premiada com a Justiça e deu detalhes de como funcionava o esquema de desvio de dinheiro por meio de contratos na Setas (Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social), nos anos de 2012 e 2013.

A delação foi articulada pelos promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), entre eles seu coordenador, Marco Aurélio de Castro.

Segundo apurou a reportagem, em depoimento, no dia 29 de junho passado, o empresário disse que a ex-primeira-dama de Mato Grosso, Roseli Barbosa, ficava com 40% do lucro obtido por meio dos contratos de prestação de serviços. Ela foi presa na tarde desta quinta-feira (20), em São Paulo, por agentes do Gaeco.

O dinheiro era repassado à ex-primeira-dama por meio de Rodrigo de Marchi, então assessor especial de Roseli na Setas. 


O dinheiro era entregue para ele, em sua sala, na Setas. Marchi também foi preso nesta quinta.

 

Segundo o delator, Marchi lhe disse, em uma reunião: “A Roseli quer 40% do que der de lucro, mas ela não quer que deixe de ser feito qualquer coisa, ela quer que o serviço seja feito. Mas ela quer que seja repassado a ela 40% do que der de lucro. Ela não abre mão desse repasse”.

 

Na delação, o empresário negou ter exercido o papel de "chefe do grupo" - e que os serviços contratados eram realizados por suas empresas. 

Distribuição dos lucros

Paulo Lemes disse, também, que além dos 40% da Roseli, outros 24% eram distribuídos ao próprio Rodrigo de Marchi e a  Nilson da Costa e Faria. Este último foi quem apresentou Paulo Lemes a Roseli. 

A parte que ficaria com o empresário era de 36% do lucro líquido.

No acordo de delação, o empresário se comprometeu a devolver todo o dinheiro que obteve por meio das prestações de serviços - pouco menos de R$ 1 milhão.

Roseli: R$ 391 mil

Na delação, o empresário disse que, em um convênio, no programa Qualifica Mato Grosso, o lucro líquido obtido foi de R$ 979, 961,00, já descontados os impostos. 

Segundo ele, Roseli ficou com 40%, ou seja, R$ 391.984,00. Já seu assessor Rodrigo de Marchi e Nilson Faria ficaram com R$ 235.190,00 - e ele ficou com 352.785,00

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário