21/09/2015 - Não posso mais agir politicamente, diz Wagner sobre as contas de Silval

Agora não posso mais agir politicamente e, sim, conforme a lei preceitua. A afirmação é do deputado estadual Wagner Ramos (PR), sobre ter sido escolhido como relator das contas do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), aprovadas por unanimidade pelo Tribunal de Contas do Estado, em junho. “Vamos observar o que foi apontado pelo TCE e como a gestão funcionou. A partir disso, verificar se o Governo atendeu aos requisitos exigidos pela lei”.

 

Wagner foi nomeado relator das contas, na última semana, e deve iniciar os trabalhos nesta segunda (21). O deputado afirma que também fará uma análise técnica de como os documentos foram enviados ao Legislativo e, só então, emitirá um parecer. “Tenho até a penúltima sessão de dezembro para encerrar esta análise”, explica.

 

Quanto à possível disputa pela relatoria das contas entre parlamentares, o republicano comenta que não houve manifestação no momento em que foi escolhido. Questionado se atuará de forma mais rígida diante do descontentamento do Parlamento acerca da aprovação do TCE, declara que fará comentários somente após ler as peças. “Depois que tirar meu raciocínio do que são as contas é que vou me pronunciar”.

 

Polêmica

As contas de Silval mal chegaram à Assembleia, em 16 de junho, e o deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) “atacou” o conselheiro do TCE, Antônio Joaquim, durante sessão do dia 18 daquele mês. Na ocasião, o socialista defendeu Wilson Santos (PSDB), que acusou o Tribunal de aprovar “um conjunto de escândalos e absurdos”.

 

Oscar ainda levantou suspeitas da existência de negócios milionários entre o conselheiro e o ex-governador. Antonio Joaquim reagiu às declarações do parlamentar e ingressou com interpelação judicial criminal contra ele, um dia após a discussão.

 

 Até mesmo o governador Pedro Taques (PSDB) chegou a comentar sobre a existência de contradições no relatório do TCE. “Você anda pelas ruas de Cuiabá e vê o que foi feito”. Conforme Taques, os indicadores de saúde revelam que o Estado lidera o ranking de casos de lepra, leishmaniose e tuberculose.

 

 

 

Eduarda Fernandes

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário