21/09/2015 - Reaproximação dos EUA e de Cuba deve ser exemplo para o mundo

O papa Francisco saudou a aproximação dos Estados Unidos e de Cuba como um modelo de reconciliação para o mundo e pediu para que os presidentes Barack Obama e Raúl Castro perseverem em estreitar laços. A declaração foi dada pelo Pontífice na chegada a Havana, ponto inicial de uma viagem história entre os dois países, que eram rivais no período da Guerra Fria.

‘Há alguns meses temos testemunhado um evento que nos enche de esperança, o processo de normalização das relações entre duas pessoas após anos de desavenças‘, disse o papa Francisco, que atuou como mediador entre as partes em sigilo durante 18 meses de negociações. ‘Eu peço aos líderes políticos que perseverem neste caminho e desenvolvam todas as suas potencialidades como uma prova do serviço ao qual são convocados em nome da paz e do bem-estar de seus cidadãos e de toda a América, como um exemplo de reconciliação para todo o mundo‘, afirmou, em discurso no aeroporto internacional Jose Marti.

O papa Francisco foi recebido pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, e estendeu seus cumprimentos a Fidel Castro, com quem deve se encontrar no domingo. Ele também disse querer que seu cumprimento fosse ‘especialmente para aqueles que, por diversas razões, eu não poderei encontrar‘, no que foi considerado uma indireta aos dissidentes políticos da ilha. Embora não tenha citado Direitos Humanos em seu discurso, o Pontífice disse que rezaria para o padroeiro de Cuba ‘por todas as crianças cubanas e por esta amada nação, para que andem nos caminhos da justiça, da paz, da liberdade e da reconciliação‘.

 

Estadão

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário