21/09/2015 - Mauro Mendes diz não descartar aliança com PMDB em 2016

O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), embora ainda não admita ser candidato à reeleição, afirmou, na última sexta-feira (18), não descartar uma aliança com o PMDB nas eleições municipais de 2016.

Ao ser questionado se a filiação do senador Blairo Maggi (PR) ao PMDB aproximaria os dois partidos, mesmo a sigla tendo sido oposição a sua candidatura, em 2012, o prefeito relembrou o caso do governador Pedro Taques (PSDB).

“O PSDB foi oposição ao senador Pedro Taques em 2010. Ele foi eleito tendo o PSDB como oposição. O cenário político é refletido pela realidade presente, não pelo passado. A gente vive de presente e futuro. Quem vive de passado é museu. Então, não descarto nada”, afirmou.

No entanto, ele disse que as definições de coligações e candidaturas somente ocorrerão a partir de maio do próximo ano, mesmo existindo uma forte pressão nos bastidores para uma definição neste sentido.

“O meu momento de decidir é em 2016. Isso já foi afirmado e reafirmado. Até lá, o meu foco é administrar Cuiabá. Temos dezenas de obras em andamento, algumas já têm recurso garantido, algumas não, temos uma crise agora”, disse.

“A onça não vai beber água agora, vai ser lá por maio do próximo ano, quando as decisões terão que ser tomadas. E é lá que eu entrarei em campo para jogar esse jogo e comunicar a decisão aos meus parceiros políticos”, comunicou.

Racha

Mesmo com diversos posicionamentos de líderes tucanos no sentido do partido ter candidatura própria, Mauro descartou uma ruptura no grupo liderado por Taques.

Para ele, o que há, até o momento, são especulações.

“É natural que em política exista muita especulação, que muitas pessoas externalizem a sua opinião, seus desejos, mas que muitas vezes não refletem a realidade. São apenas especulações ou conjecturas. Respeito todas, mas o momento de decisão será em 2016”, finalizou.

Especulações

Nas últimas semanas, têm sido frequentes as especulações de um possível racha na aliança Taques-Mendes.

Antes de deixar o PDT, o PSB chegou a oficializar um pedido de filiação ao governador. No entanto, ele preferiu se filiar ao PSDB, presidido pelo senador Aécio Neves (MG).

Desde então, deputados como Guilherme Maluf e Wilson Santos (PSDB) tem, reiteradamente, defendido a candidatura própria dos tucanos em Cuiabá.

 

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário