21/10/2013 - Debilitada, UNEMAT é obrigada a diferenciar oferta de cursos no Araguaia

Nesta sexta-feira, 18.10, o município de Luciara recebeu mais uma rodada de discussões promovidas pelo deputado Estadual Baiano Filho (PMDB) sobre o fortalecimento e ampliação da grade de cursos da UNEMAT. O debate teve início às 9h, no Campus da UNEMAT em Luciara.

 

A UNEMAT no Médio Araguaia é formada pelos cursos de Química, Pedagogia, Biologia e Espanhol no campus de Luciara; Letras com habilitação em Espanhol, Letras com habilitação em Inglês e Ciências Sociais em Confresa, e os cursos de Educação Física e Ciências da Computação em Vila Rica.

 

A inconstância no repasse de recursos obriga que a atuação da universidade se adapte à falta de condições e adote o regime diferenciado. Nenhum dos cursos ofertados na região obedece ao regime regular, aquele onde são realizados vestibulares anualmente dando inicio a uma nova turma a cada semestre. No Araguaia, o regime é diferenciado, onde a cada quatro anos uma turma se encerra, e a continuidade do curso passa por uma avaliação orçamentária que definirá a abertura de novas turmas ou o encerramento do curso.   

 

Tal insegurança aflige a população, deixam jovens e adultos inseguros quanto ao futuro profissional, e o que é pior, reforça o estigma de uma região fragilizada e subjugada pelas políticas de ensino. Essa também a opinião da professora Luciana Silva que leciona na Escola Municipal do Campo São Bento e estuda Biologia na UNEMAT.

 

Segundo o professor Luiz Antonio Barbosa Soares, coordenador da UNEMAT no Médio Araguaia, apesar dos esforços do Governo do Estado, os recursos não acompanham das demandas da instituição. Tonico frisou que a garantia da sede própria foi por muito tempo prioridade para o campus Luciara, e que agora é o momento de formatar planos para o fortalecimento dos cursos e frisou a necessidade urgente da oferta de cursos voltados ao mestrado. Tonico também defendeu que discussões sejam focadas na instalação de cursos compatíveis com a vocação da região Araguaia, capazes de formar e reter esses novos profissionais para que atuem na região. “Precisamos de cursos que tenham demanda e possibilidades reais de colocação no mercado de trabalho, inclusive defendo que o Araguaia seja transformado em uma grande ‘industria de turismo’, formando e absorvendo seus próprios profissionais”, destacou o coordenador.   

 

Baiano Filho argumentou que a Assembléia Legislativa aprovou em julho a PEC 66/2013, garantindo que a UNEMAT receba o incremento de 0,1% anualmente até 2018, quando será fixado o repasse de 2,5% da receita corrente liquida do Estado à instituição. Com o repasse vinculado à receita liquida, o orçamento fica livre da ameaça de novos estrangulamentos. O deputado acrescentou que este é o momento de se provocar discussões a fim de que as peculiaridades regionais sejam consideradas no planejamento e distribuição dos novos incrementos.

 

O deputado também destacou a implantação do curso de Engenharia Civil no campus de Nova Xavantina, e reforçou a necessidade de arregimentar força política para a implantação por exemplo do curso de Direito em Vila Rica e um estudo de viabilidade para a instalação de uma extensão da universidade em Bom Jesus do Araguaia.

 

Sobre as deficiências na estrutura física de Luciara, Baiano solicitou que a coordenação do campus esboce uma planilha de custos contemplando a reforma e ampliação do refeitório e alojamento.

 

Participaram o prefeito de Luciara Fausto Azambuja, o presidente da Câmara de Luciara Celso Feitosa, o presidente da Câmara de Vila Rica Luciano de Souza Silveira, o vice-prefeito de Bom Jesus do Araguaia Silvio Dantas, a vice-prefeita de Luciara Elisete Nunes de Souza, entre outras autoridades. Apesar da importância das discussões, o reitor Adriano Silva não compareceu ao debate.

 

Naiara Martins

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário