21/10/2015 - Assembleia lança movimento em prol da retomada das obras do VLT

Audiência pública com intuito de debater e discutir com os comerciantes da Avenida da FEB, na Cidade Industrial, os impactos da obra de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Cuiabá. 

 

A Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso lançou hoje (20) o movimento político e social em prol da retomada das obras do VLT. Na reunião extraordinária da Comissão de Infraestrutura Urbana e de Transportes, o deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR) disse que o objetivo é sensibilizar o governo, de que o modal é legítimo "um caminho sem voltas".

Nesta manhã os membros da comissão interpelaram o gerente do Departamento de Serviços Comerciais da Energisa, Oscar Cesar Fernandes Neto. O engenheiro disse que a concessionária de energia tem capacidade energética suficiente para atender toda a demanda do VLT. "A empresa se preparou para a chegada do VLT. Estamos prontos para atender de imediato", disse.

De acordo com Pinheiro, as informações técnicas prestadas aos deputados foram suficientes para encerrar a discussão veiculada nos noticiários de que o Estado de Mato Grosso não teria a capacidade necessária para garantir o funcionamento do modal na Região Metropolitana de Cuiabá.

"Há energia de sobra, basta uma decisão política para retomada das obras. O governo precisa resolver esse problema, isso não é um problema do passado, mas sim do futuro. Temos que unir forças em prol da continuidade e conclusão das obras", defendeu o parlamentar.

Os deputados ouviram neste início de semana o secretário de Estado das Cidades, Eduardo Chiletto, que apresentou a versão do governo acerca do caso. Pinheiro questionou a necessidade de o governo contratar uma empresa de consultoria, ao custo de R$ 3,8 milhões, que apresente um estudo sobre a situação da obra, entre outras questões envolvendo a implantação do VLT.

No final do mês passado, a Comissão Permanente da Assembleia realizou vistoria nos trilhos e vagões do VLT, no Centro de Comando Operacional, localizado ao lado do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. A obra foi iniciada em 2012 e deveria ter sido concluída em março de 2014. Mais de R$ 1,4 bilhão já foi investido. A conclusão da obra, caso fique pronta em 2018, poderá chegar a R$ 2,2 bilhões.

Participaram da reunião da Comissão de Infraestrutura Urbana e Transporte os deputados Nininho (PR) e Pedro Satélite (PSD). Os deputados deliberaram que as informações repassadas pelo engenheiro da Energisa sejam entregues ao governador Pedro Taques, e aos secretários de Cidades, Eduardo Chiletto, e de Projetos Estratégicos, Gustavo Oliveira.

 

Audiência – O deputado Emanuel Pinheiro solicitou audiência pública com intuito de debater e discutir com os comerciantes da Avenida da FEB, na Cidade Industrial, os impactos da obra de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Cuiabá. A solenidade será realizada no dia 22 de outubro, às 14h, na Assembleia Legislativa, no auditório Milton Figueiredo.

 

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário