21/11/2014 - Barranco diz que não fará oposição a Taques caso comece a legislar na AL

Caso consiga “descongelar” os 19.227 votos que dariam uma vaga na Assembleia, o ex-prefeito de Nova Bandeirantes Valdir Barranco (PT) afirma que não pretende fazer oposição radical ao próximo governador Pedro Taques (PDT), mesmo que o partido tenha sido adversário do pedetista nesta eleição. 

“A maioria escolheu o projeto dele (Taques). Vamos apoiar naquilo que estiver na legalidade”, explica Barranco.

Para tentar reverter a situação, o parlamentar entrou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que a decisão seja julgada pelo Pleno do Tribunal e não somente de forma monocrática. 

Caso consiga a validação dos votos, Barranco não terá impedimentos para assumir a vaga na Assembleia. Nesse novo cenário, o deputado eleito coronel Pery Taborelli (PV) perderia o posto. O julgamento está marcado para a próxima semana.

Diante da possibilidade de atuar na próxima legislatura, Barranco adianta que suas ações devem ser direcionadas na regularização fundiária e investimentos da agricultura familiar, uma vez que exerceu o cargo de superintendente do Incra. “Mas quero ter uma atuação forte na educação onde foi minha origem”, explica o ex-prefeito.

Quanto à declaração do deputado estadual Ademir Brunetto, que associou sua derrota nas urnas ao erro de estratégia do PT em deixar candidatos concorrerem sub judice, Barranco rebate o correligionário ao afirmar que nem todos seus votos seriam transferidos para os candidatos do partido. “Então a tese do Brunetto já está vencida”, ressalta.

Barranco teve candidatura impugnada ao ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa devido reprovação das contas pela Câmara, à época em que exerceu o cargo de prefeito. Para Barranco, as contas do município do ano de 2007 foram reprovadas em vingança a denúncia feita contra os vereadores, que queriam propina para aprovar as contas. 

Posteriormente, o Ministério Público de Nova Monte Verde, por meio do promotor de Justiça Henrique de Carvalho Pugliesi, decidiu pelo arquivamento do processo. As contas, no entanto, foram novamente apreciadas pela Câmara e aprovadas.

 

 


Tarso Nunes 
Do Rdnews

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário