22/02/2011 20h:58 Cratera do Dragão ameaça engolir duas comunidades em Cuiabá, a menos de 15 minutos do centro

Motociclistas passam pela valeta, mas reclamam de prejuízos
(Foto: Eudes Talaveira)

Após diversas denúncias à Prefeitura de Cuiabá, a cratera conhecida como Caverna do Dragão, com cerca de 20 metros de profundidade e 40 de largura, ameaça “engolir” moradores dos bairros Barreiro Branco e Novo Milênio, em Cuiabá, de uma hora para outra. Como se não bastasse, o rompimento da rua de acesso a essas comunidades, e maior a cada período chuvoso, impende a passagem de veículos. Para entrar ou sair do bairro, somente a pé. O problema já se arrasta há duas décadas.

 

Não dá pra imaginar que em Cuiabá, capital de Mato Grosso, duas comunidades vivam em situação de isolamento apesar de estarem localizadas a apenas 15 minutos do centro da cidade.

    Caverna do Dragão já chegou no limite da rua
    
Foto: Eudes Talaveira)

Estudantes, trabalhadores, jovens, idosos e crianças não têm outra alternativa a não ser caminhar pela rua principal até o bairro Novo Paraíso, porque os coletivos já não nos bairros.

 

Na seca é possível passar a pé, mas na chuva a valeta vira um rio com quase dois metros de água, para desespero para os moradores. Só restam às famílias rezarem para que São Pedro não castigue na chuvarada. Caso contrário, ficam todos literalmente ilhados.

 

Norberto Nobres Costa Leite, presidente do Barreiro Branco, conta que já procurou incontáveis vezes a Prefeitura de Cuiabá em busca de uma solução para o isolamento, sem sucesso.

Crianças e idosos tem que caminhar longas
distâncias  (Foto: Eudes Talaveira)

“Esse problema já dura pra mais de 20 anos”, calcula o líder comunitário, frequentemente cobrado pelos moradores, já cansados de esperar a boa vontade do poder público. Jacira Dias de Moura, presidente do Conselho Fiscal, não tem dúvida: “Todo ano de política vem alguém aqui prometendo coisa e, entra ano, sai ano, é só promessa”.

 

A dificuldade de locomoção no bairro é motivo de grande preocupação. De um lado porque as pessoas tem que sair muito mais cedo de casa para cumprir seus compromissos, além de enfrentar uma longa caminha por entre matagais e lama, nesta época de chuva. À noite, o problema é com a violência. A avenida é escura, o que coloca em risco os moradores, principalmente jovens que estudam à noite ou trabalhadores que chegam tarde do serviço ou saem de madrugada.

 

Aluizio Moura conta que na época da chuva nem de barco é possível atravessar o buraco por causa da velocidade da correnteza. “Nós estamos num apuro aqui, precisando do ônibus. Todo ano é isso. Tem mais de vinte anos e nunca tomaram uma providência”.

 

“Muitas pessoas de idade, estudantes também, não tem como passar. Nós estamos mesmo abandonados. É precário. Fico muito chateado”, diz o trabalhador Luiz Constantino, que pensa em vender todas as suas coisas e se mudar do bairro.

 

  Seu Luiz pensa em vender tudo e mudar
 
do bairro (Foto: Eudes Talaveira)

Quase sem esperança, a comunidade decidiu fazer um abaixo assinado na tentativa de sensibilizar a Prefeitura de Cuiabá a fazer o manilhamento do local. Mais para dentro do bairro, outra cratera ameaça destruir de vez o acesso a essas comunidades. É a já apelidada de “Caverna do dragão”. Uma fenda imensa se abriu na lateral da avenida e já encostou na margem da via. Pessoas e veículos podem inclusive cair no buraco caso a fenda, se abra mais alguns centímetros. A Secretaria de Infraestrutura do Município já sinalizou, meses atrás, não ter como resolver este problema.

 

A falta de estrutura de alguns bairros da Capital é resultado da ocupação desordenada de áreas públicas ou particulares, sem que haja uma política eficaz para resolver o problema da habitação no município. (com http://www.navegadormt.com/)