22/02/2012 Mocidade Alegre é declarada campeã do Carnaval de São Paulo após confusão na apuração

Após confusão durante a apuração das notas dos desfiles do Grupo Especial, a Liga Independente das Escolas de Samba decidiu manter as notas divulgadas até o momento da interrupção e, no final da noite desta terça (21), declarou a escola Mocidade Alegre campeã do Grupo Especial de 2012. As escolas Camisa Verde e Branco e Pérola Negra foram rebaixadas.

A Liga se baseou no artigo 29 do regulamento, que define que, na falta de uma nota em alguma categoria, a nota maior deve ser repetida -- este critério dá o título do campeonato à Mocidade, que estava a apenas uma nota 9,9 do título no momento da interrupção, seguida de Rosas de Ouro e Vai-Vai.

Realizada nesta tarde, no Sambódromo do Anhembi, a apuração foi paralisada depois que um homem invadiu a área reservada aos jurados e rasgou as cédulas com as últimas notas. Houve tumulto, incêndio e detenções.


Desde então, presidentes das 14 escolas do Grupo Especial estavam reunidos para analisar que providências seriam tomadas. De acordo com Carlos Alberto Praça, assessor de imprensa da Liga, houve uma votação de sete votos a cinco em favor de manter o resultado das notas lidas até a interrupção.

  • Arte UOL

    Quando a confusão começou, a escola Mocidade Alegre estava na frente, seguida pela Rosas de Ouro e Vai-Vai. Faltavam apenas duas notas do último quesito, Comissão de Frente, para sair o resultado da vencedora do Carnaval

As escolas que não concordaram com a decisão são: Vai-Vai, Rosas de Ouro, Pérola Negra, Camisa Verde e Branco e Império de Casa Verde (agremiação a que supostamente pertence o homem detido em flagrante por invadir e rasgar as notas).

Integrantes da Mocidade Alegre, principal beneficiada, não chegaram a festejar e vitória. Eles se reuniram na quadra, mas quando o resultado foi anunciado,  o local já estava vazio. Nesta terça-feira (21), a presidente da escola, Solange Bichara Rezende, disse em entrevista ao jornal "Bom Dia São Paulo", da Globo, que pretende fazer alguma comemoração com a comunidade, "que tem o sangue guerreiro e que fez a escola se superar."

Polêmica no júri
"A Mocidade levou, mas não ganhou. Alguns presidentes não votaram. Fomos contra não terminar a leitura dos votos", disse o presidente da Vai-Vai, Darly Silva, o Neguitão, acrescentando que um dos pontos de discórdia foi uma troca de jurados de última hora. "Achamos muito estranha a situação de troca de jurados que houve na quinta de Carnaval, jurados que justamente deram 10 para a Mocidade e tiraram pontos de outras escolas", disse.

Logo após a confusão, a presidente da Mocidade Alegre, Solange Bichara Rezende, confirmou ao UOL que houve divergências com relação a nomeação dos jurados. "A questão é como foi feita a escolha dos jurados este ano."

Em 2012, a seleção para jurados de Carnaval sofreu mudanças. Foi aberto concurso público para o cargo, o que causou a insatisfação de alguns membros de escola de samba.

Antes do início da apuração, houve uma reunião entre os diretores das escolas para discutir a substituição de dois jurados às vésperas da primeira noite de desfiles, sexta-feira. A mudança desagradou alguns dirigentes, mas o consenso ao final da reunião foi de que as notas dos jurados substitutos não seriam descartadas.