22/03/2014 - Denúncia: Hospital Adauto Botelho se recusa atender paciente de São Félix do Araguaia

A moradora Fabiana Pereira Costa Silva do distrito Espigão do Leste município de São Félix do Araguaia - MT sofre de distúrbio mental e está no 9º mês de gravidez, deu entrada no dia 20 de março no hospital regional de São Félix do Araguaia e foi atendida pelo médico plantonista Dr. Claudio, em seguida levada de ambulância pelo município para cidade de Barra do Garças, acompanhada por uma enfermeira (que não quis revelar sua identidade) para uma consulta com um psiquiatra, ao chegar em Barra do Garças  surtou e foi levada para o Pronto Socorro Municipal.

 

Entretanto, um dos médicos de plantão do Pronto Socorro afirmou que não prestaria socorro se não fosse feita avaliação psiquiátrica. Fabiana foi avaliada por um psiquiátrico particular, o mesmo constatou surto psicótico grave, pedindo para retornar com a paciente para o Pronto Socorro, pois a mesma teria que ser internação imediata. Ao chegar com a paciente no Pronto Socorro, pela segunda vez se recusaram atende-la, só depois de muita luta aceitaram que ela ficasse na emergência. Foi encaminhado um oficio para promotoria de São Félix do Araguaia, mas só terá um retorno na segunda-feira (24/03/), Como a paciente não podia esperar, foram tomadas outras providencias.

 

Em contato com o Hospital Adauto Botelho que é referencia no estado para alta complexidade, quando solicitada à vaga, disse que Fabiana seria a primeira da lista e que aguardassem a chamada. No outro dia ao entrar em contado com o responsável do hospital, perguntando sobre a vaga, informaram que o hospital não teria condições de receber a paciente, pois não tem suporte. Indignada, com a situação desrespeitosa e injusta a enfermeira não mediu esforços e seguiu com a paciente para Cuiabá em busca de socorro.

 

Um dos médicos do Adauto Botelho avaliou a paciente e encaminhou para o Pronto Atendimento de gestante no hospital Santa Helena na cidade de Cuiabá. A enfermeira responsável que os atendeu explicou que ali é acolhimento de gestante e não poderia internar a paciente devido o problema mental. O único apoio prestado foi por parte da Assistente Social Mariuza que se prontificou a buscar solução, orientando qual o procedimento e o que deveria ser feito no momento.

 

Para a enfermeira que está acompanhando à paciente, o município está fazendo a sua parte, falta o estado cumprir com a sua. “São duas vidas que necessitam de cuidados especiais. Está assegurada na Portaria 180 do SUS na Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001, que dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental”,  desabafa a enfermeira.

 

Segundo informações Fabiana tentou matar o pai, agrediu a mãe e cortou o braço do irmão. As famílias ao ver o estado agressivo dela se recusaram acompanhar e uma vizinha está acompanhando que também foi agredida por Fabiana na cidade de Barra do Garças, chegando a machucá-la. A enfermeira que acompanhava disse que só tinha duas soluções, retornar com a paciente para São Félix ou arriscar levar para Cuiabá.

 

Quando se tratar de um paciente com quadro de agitação psicomotora, agressividade, delírios, alucinações, vai exigir uma equipe treinada em atendimento a pacientes com transtornos psiquiátricos mais graves. Nesse caso o médico plantonista deve prevenir atos danosos que por ventura possam ser cometidos por tais pacientes. Portanto, cabe ao médico medicá-lo devidamente e, após a intervenção e com o paciente sob controle, encaminhá-lo para um hospital especializado.         

                                                                                         

Dizer que a região está completamente abandonada pode até soar como um exagero, entretanto, tal adjetivo pode ser comprovado quando se depara com a atual situação. A saúde é precária, falta médicos em algumas cidades posto de saúde, inexistência do lazer e de atividades recreativas, asfaltos das BRs 242 e 158, hospital regional da cidade de Porto Alegre do Norte – MT e ainda a completa carência na execução de projetos assistenciais. A região do Araguaia só é lembrada em época de campanhas políticas.

 

Parabéns ao prefeito de São Félix do Araguaia; José Antonio de Almeida (Baú), a Secretária de Saúde Gildene, a Assistente Social Madeleine e a enfermeira Luzia e toda equipe que abraçou a causa em busca de solução.

 

 

Vanessa Lima/O Repórter do Araguaia

 

 

Comentários

Data: 25/03/2014

De: deca

Assunto: saude

a saude ta bem aqui em são felix em cuiabá o pronto socorro ta cheio de gente do estado enteiro ainda manda gente da qui para consulta gente que tem que faze cirurgia ta levando e carão na cara tem uns tres ai gente que teve quebradura em dezembro ainda ta com tipoia esperando deus,pois a saude em aqui ta precaria ainda fica falando que a saude ta mil maravilha acorda bau secretarios chega de mentira para o povo kd a casa de apoio em cuiabá o povo tem que fica e na rua...pena disse que a saude seria mil maravilha so se for o senhor tem dinheiro ne....

Data: 24/03/2014

De: eu

Assunto: VEJO

Vejo que esse caso e diferente de outros, o empenho dos fucionarios muito bom, diferente de outros casos que não se emporte tem que ser assim, com todos que presisão do sus. Parabens por esse caso.

Data: 23/03/2014

De: SANFA

Assunto: indignação III

Realmente é mais um dos casos que nos deixa indignados! Fico imaginando o quanto a vida das pessoas simplesmente se tornou um nada, o quanto tem sido insignificante, e o que me assusta mais ainda, é que determinados profissionais de saúde que deveria cuidar daquele que necessita de cuidados, deveria brigar (já que essa questão de regulação) já se tornou um caso de polícia, para garantir o devido atendimento, o que fazem? Se escondem, se recusam, desligam o telefone, manda o paciente de volta sem nenhum remorso ou pudor. Cadê o Estado! Profissionalismo, bom senso, humanidade, política séria de Saúde, se perderam! E somos nós, somente nós temos o poder de mudar tudo isso.

Data: 23/03/2014

De: anonimo

Assunto: reforma do Adauto Botelho

Belíssima reforma, parabéns governo do Estado de MT. O povo é que se cuide para não depender da saúde mental, da saúde como um todo é claro. E o nosso povo ainda reclama do atendimento da saúde no município, pior é quando vc precisa sair, como essa paciente precisou em busca de atendimento de alta complexidade que só o Estado "pode" oferecer, ai sim, a gente lembra que no interior o atendimento é mais rápido, embora não tenha muitos recursos a oferecer. Hoje até na rede particular a gente esperar, mesmo pagando. Essa é a cara da saúde publica e privada do nosso Brasil!

Data: 22/03/2014

De: Cidadã sanfelisense

Assunto: Indignação!!

O foco do governo atualmente é a copa do mundo, a saúde está um caos é vergonhoso para o Estado de MT, ser um anfitrião de jogos da copa e não oferecer nenhuma estrutura para receber o turista que vem para a copa ou será que vão criar uma alfandega onde será exigido atestado de saúde mental para entrar em Cuiabá, será que não poderão enfrentar problemas como esse que aconteceu com essa paciente com transtorno mental, é ai, vão colocar aonde? o único hospital de referencia de Alta Complexidade no Estado é o Adauto Botelho e como sabemos não dispõe de médico psiquiatra no seu quadro funcional, o atendimento é realizado por clinico. Desde setembro de 2012 que vem faltando medicamento na farmácia de alto custo, os pacientes acabam buscando auxilio junto ao Ministério Publico para garantir o seu direito enquanto cidadão, o mais grave de tudo é que até a presente data o governo do Estado não contratou prestadores para realização de procedimentos cirúrgicos, há pacientes por exemplo nesta cidade que aguarda ser chamado para realização de cirurgia há mais de 02 anos, uns até já vieram a óbitos, a central de regulação do Estado não funciona adequadamente e ainda colocam pessoas sem qualificação para fazer triagem na regulação do E.R.S. A regulação de urgência e emergência não funciona, a população é penalizada e o municipio toda semana tendo que pagar frete aéreo para não deixar o paciente morrer, os médicos reguladores da urgência e emergência em Confresa não se empenham para conseguir a vaga e os médicos no CISA tem preguiça de solicitar a vaga para a regulação de Urgência/emergência, pois sabem que não funciona, no entanto esses caras estão ganhando altos salários para ficarem coçando o saco,e rindo da desgraça da população, o descaso é total no baixo Araguaia, as eleições estão vindo , e novamente o eleitor abestado vai acreditar novamente nas promessas vazias deles. Se dependesse de mim nenhum político seria eleito, são todos aves de rapina, só pensam neles mesmos, ser político é um negocio lucrativo, bom demais, se não fosse remunerado duvido que tinha alguém querendo ser candidato neste país. Cadê a Câmara de Vereadores? vocês foram eleitos para buscarem solução para os problemas sociais, povim sem qualificação! mexa-se!

Data: 22/03/2014

De: Nubia Martins

Assunto: indignacao!

Eu espero,de verdade que o prefeito e toda sua equipe consigam dar um pouco de dignidade a pacientes como essa mae, que esta correndo risco de vida e sua crianca que ainda esta no ventre. Essa Regiao so e lembrada em epoca de campanha politica e nenhuma providencia e tomada para que essa situacao mude, Eu comento porque me sinto parte desse lugar fui obrigada a vir morar na cidade grande justamente por causa da falta de um cardiologista, e fico muito indignada com essa situacao ja pensei varias vezes em voltar ai me lembro,no caso de sofrer um enfarto? Que sera feito? Entao desisto da ideia de voltar. Muito obrigada por nos manter informados!

Novo comentário