22/03/2016 - "O Brasil vive golpe midiático, judicial e policial", afirma Lúdio

22/03/2016 - "O Brasil vive golpe midiático, judicial e policial", afirma Lúdio

O ex-vereador Lúdio Cabral (PT) classificou como golpe “midiático”, “judicial” e “policial” o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e a divulgação das interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

 

“Esta é uma luta contra o golpe midiático, judicial, policial que está em curso no Brasil hoje. A democracia está sob risco hoje por conta de atos absolutamente ilegais praticados por uma parte da Polícia Federal, Ministério Público e da Justiça Federal, com a articulação da grande mídia brasileira, que quer reviver 1964”, afirmou.

 

Para o petista cuiabano, a bandeira “combate à corrupção” está sendo utilizada como cortina de fumaça para interesses "políticos escusos".

“Todos nós somos contra a corrupção. Todos nós defendemos a autonomia das instituições investigarem todo cidadão contra atos de corrupção. Agora, o que nós não podemos é deixar o combate à corrupção ser utilizado como cortina de fumaça para interesses políticos poderosos que querem derrubar um governo eleito democraticamente no Brasil”, disse.

 

Lúdio disse não acreditar que há indícios de que Lula e Dilma tentaram obstruir o trabalho da Justiça.

 

A presidente tentou nomear Lula para ministro da Casa Civil, o que faria com que as investigações contra ele, na Operação Lava Jato, saíssem das mãos do juiz Sérgio Moro e fossem para o STF (Supremo Tribunal Federal). No entanto, o ministro Gilmar Mendes determinou a suspensão da posse e que as investigações fiquem sob a condução do juiz.

 

“Esses indícios não existem. Esses supostos indícios são parte dos atos ilegais praticados contra a soberania nacional do nosso país, que temos que denunciar. Na quarta-feira, a sensação que tive é que, mesmo não tendo vivido, estava vivendo 1964”, afirmou se referindo a data em que Sergio Moro revelou telefonema entre Dilma e Lula conversando sobre o termo de posse da Casa Civil.

 

“A presidente da República grampeada, esse grampo ser divulgado por um juiz para o mais poderoso meio de comunicação do nosso país [Rede Globo], para insuflar a população contra o Governo. Isso é o retrato mais objetivo da construção de um ataque à democracia no nosso país”, disse.

 

Reforma eleitoral

 

Por fim, Lúdio defendeu uma reforma do sistema político, que, segundo ele, possibilita a corrupção nas campanhas eleitorais.

 

“A grande bandeira que deve unir o Brasil é a luta por uma profunda reforma do nosso sistema político, porque a raiz da corrupção está nas campanhas e no modelo de financiamento de campanha eleitoral que temos hoje”, afirmou.

 

“O que não dá é para aqueles que não gostam de nós, para a oposição derrotada nas urnas, se aproveitar da insatisfação da população por conta da crise econômica, que é real, da corrupção, que é estrutural no país. O que precisa ser mudado verdadeiramente no Brasil é o sistema político eleitoral, por meio de uma profunda reforma. Inclusive, com a convocação de uma Constituinte Exclusiva”, completou.

 

 

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário