22/04/2014 - Vereador João Emanuel é internado em hospital de Cuiabá com intoxicação

As vésperas da sessão legislativa em que deve ser votado seu segundo pedido de cassação, o vereador João Emanuel (PSD) passou mal e precisou ser internado no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, para fazer uma lavagem estomacal. De acordo com informações de familiares e de assessores próximos ao peessedista, ele teve uma intoxicação alimentar na tarde desta segunda-feira (21).

“Não é nada sério. Ele apenas passou mal e precisou vir ao hospital. Quando me informaram eu até pensei que fosse mais grave, mas não é nada demais. E ele está muito bem acompanhado pelos familiares”, disse o advogado Eduardo Mahon, responsável pela defesa de João Emanuel na esfera criminal.

João vive sob forte pressão dentro da Câmara de Vereadores de Cuiabá. Na sessão de terça-feira poderá ser votado a abertura de processo de cassação por quebra de decoro devido a suposta agressão de um segurança dele a uma ativista do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE).

“Vou colocar em votação o pedido de abertura de um novo processo por quebra de decoro a respeito da agressão do vereador contra ativista do MCCE na próxima sessão. Se a desembargadora entender que não posso ler outro pedido de cassação, eu vou pedir para o presidente do Tribunal de Justiça para ele montar uma sessão dentro do TJ”, afirmou o atual presidente da Câmara, vereador Júlio Pinheiro (PTB), ainda a semana passada.

O primeiro processo de cassação de João Emanuel foi suspenso por uma decisão da desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, devido a suposta falta de algumas provas na ação administrativa. O parlamentar foi alvo da Operação Aprendiz, deflagrada em novembro de 2013 pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) para investigar supostas fraudes em licitações da Câmara de Vereadores e grilagem de terrenos. O esquema seria liderado pelo vereador. O parlamentar chegou a ser preso numa segunda etapa, há cerca de três semanas, mas teve a prisão preventiva revogada pelo TJMT.

 

 

Laura Petraglia e Jardel Arruda

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário