22/05/2014 - Servidores da educação de Vila Rica em greve “invadem” Rádio para ouvir pronunciamento

Dezenas de trabalhadores da rede municipal de ensino de Vila Rica “invadiram” as dependências da Rádio Comunitária Eldorado FM às 12h30min para ouvirpronunciamento da Secretária de Educação Guiomar Rita e do Procurador do Município, Pierre Fabrício.

Logo em seguida a Presidente do Sispumvir e a Diretora Estadual da CUT, Lucimeire Lázara usaram os microfones da emissora para falar da paralisação.

O Procurador Pierre falou da medida liminar que a justiça concedeu no dia 5 de maio considerando a greve ilegal. Segundo ele a Prefeitura concedeu o piso nacional aos professores e já contratou uma equipe de profissionais para elaborar o plano de cargos e carreiras.

A Secretária Guiomar disse que encaminhou na terça, dia 20, uma convocação aos grevistas pedindo retorno imediato ao trabalho porque depois da liminar existem os trâmites legais para serem acompanhados.

Logo em seguida a Diretora da CUT agradeceu a admiração que o Procurador tem pela classe, mas mencionou que os trabalhadores precisam também de valorização, “o piso hoje é de 1.697 reais e o município de Vila Rica paga 1.272 reais” e continuou dizendo que os profissionais da educação estão clamando e conclamando ao Prefeito que faça uma negociação.

A Presidente Marizete disse que recebeu, minutos antes, um documento que será analisado às 14 horas e às 16 horas levará para Assembléia Geral. Marizete disse que os vereadores, principalmente os cinco da base do Prefeito precisam de ação, falam que estão apoiando o movimento, mas precisa atitude.

O profissionais da educação de Vila Rica completam nesta quarta-feira (21), 65 dias em greve com as seguintes reivindicações:

1º - O reajuste do FUNDEB.

2º - Elevação de nível do pro funcionário e pro infantil.

3º - Aprovação com urgência do plano de cargos, carreira e salário.

4º - O piso salarial nacional que é garantido pela lei 11.738/2008.

5º - Aplicação integral dos 30% das receitas de impostas e transferências constitucionais.

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário