22/06/2011 - 12h:00 Ex-prefeito acusa adversário de chefiar crimes e servidor de armação

 O ex-prefeito de Alto Boa Vista (1059 km de Cuiabá) Aldecides Milhomen (DEM) acusou o contador Max Alenbrandi e o chefe do Cartório Eleitoral Anderson de Oliveira de terem sido corrompidos pelo grupo do chefe do Executivo, Wanderley Iderlan Perin (PR), e armado uma farsa que resultou em sua cassação e na posse do segundo colocado nas eleições de 2008. Além disso, ele fez graves acusações contra o republicano, denuncio-o por chefiar uma quadrilha de roubos na região.


Ambos estão na mira de uma investigação realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE), sob a tutela da promotora Maria Coeli Pessoa de Lima, e inclusive já teria sido requerido a prisão de Anderson, que “quase foi preso há quatro dias, quando foi ao município para receber o dinheiro acordado com Perin”. As revelações foram feitas na manhã desta quarta-feira (22) em entrevista coletiva do ex-prefeito e do advogado Ronaldo Monteiro.

O democrata contou ainda que há quatro dias, Anderson teria ido ao município e se hospedado no Hotel Central, com apoio dos padres da Prelazia de São Félix do Araguaia, para receber o dinheiro do acordo, porém a Polícia Civil foi acionada para prendê-lo em flagrantes, mas ele conseguiu fugir com apoio dos religiosos.

O atual grupo que governa a cidade acusou Aldecides de ter fugido com uma caminhonete do município e ainda ter roubado dinheiro do cofre da cidade. No entanto, ele informou que quando Perin foi empossado, “na calada da noite e de forma irregular”, ele estava em Confresa acompanhado do presidente da Câmara e, na sequencia, viajou de avião para Brasília para analisar os recursos cabíveis à decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que cassou o mandato do democrata por contratação irregular de cabo eleitoral. 

Segundo Aldecides, o contador de sua campanha também trabalhou para o adversário e alterou o número de cabos eleitorais contratados, saltando de 134 para 291, número considerado exagerado pelo Ministério Público Eleitoral, pois ultrapassa os 5% do número de habitantes. Ainda de acordo com o prefeito cassado, os números teriam sido alterados para prejudica-lo. 

O ex-prefeito denunciou também que o grupo do atual prefeito invadiu o prédio da prefeito, quebraram os quadros, arrombaram portas, e por isso não se responsabiliza por nada que tenha sumido desde que Perin assumiu. 

Cansado de ser “vidraça”, Aldecides soltou o verbo e contou que o atual chefe do Executivo possui uma loja de desmanche, WP Import`s, em Goiania, na Vila Canaã e chefia uma quadrilha de roubos de gado e invasão de terras na região. Ele disse ainda que chegou a procurar o secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado, para fazer a denúncia e pediu que investigasse até mesmo a Polícia Civil do município, no entanto, nada aconteceu. 

Apesar de alegar não ter sido ameaçado, ele informou que agora teme pela sua vida e até já pediu para que seus aliados não interfiram na atual gestão, por isso, resolveu buscar seus direitos na justiça. 

 

Da Redação - Alline Marques

Comentários

Data: 23/06/2011

De: Visitante

Assunto: Denuncias

muito serio as denuncias do ex-prefeito e creio que merecem serem investigadas, pois se nao confirmadas pesam sob o denunciante e caso se confirme muita gente tera o que se explicar, imagine, desmanche de veiculos, roubo de gado, TRE, até religiosos estao envolvidos. serrisssimas as denuncias.

Novo comentário