22/08/2015 - Por questão econômica, Taques pode encurtar o trajeto do VLT

O governador Pedro Taques (sem partido) admitiu que o trajeto de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) poderá ser reduzido, caso não haja viabilidade econômica para a operação do modal nos dois eixos inicialmente previstos para a obra. 

“Se a operação for cara em 22 quilômetros, é possível você diminuir isso, para que tenha viabilidade financeira. Isso depende de cálculos”, afirmou Taques. 

A ideia inicial é a de que o VLT seja implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça (CPA), FEB, 15 de Novembro e Tenente-Coronel Duarte (Prainha), no eixo 1; além da Coronel Escolástico e Fernando Correa da Costa, que compõem o eixo 2.

Quando concebido, o projeto do modal previa dois eixos - CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro -, ao logo de 22,2 quilômetros de trajeto. Taques não comentou, contudo, qual dos dois trechos pode vir a ser alterado. 

Nos bastidores, as informações são de que, caso haja uma exclusão, o eixo 2 pode ser afetado, já que o primeiro tem serviços mais adiantados e é considerado prioritário. 

Conclusão

Embora tenha admitido a possibilidade de encurtar o trecho do modal de transporte, Pedro Taques reiterou que é favorável à conclusão da obra, que está paralisada desde dezembro do ano passado. 

O governador lembrou, por exemplo, que, do valor contratual previsto em R$ 1,47 bilhão, R$ 1,066 bilhão já foram pagos. 

“Como governador, como eu vou vender R$ 700 milhões de vagões que estão aí? Não é possível fazer isso. Como que eu vou derrubar viadutos? Sou favorável ao término da obra, não podemos deixar a obra parada”, afirmou. 

Taques reafirmou, no entanto, que, para dar continuidade a obra, o Governo aguarda os resultados de uma consultoria. 

“Estamos estruturando uma consultoria, para decidir o futuro do modal de transporte. A consultoria vai dizer o modelo de operação, o modelo tarifário e eu levarei isso à Assembleia Legislativa e às duas Câmaras (Cuiabá e Várzea Grande), para que possamos discutir isso em audiências públicas”, disse.

“Se eu prego um Estado de transformação, se eu prego que dentro da transformação está a transparência, eu preciso discutir isso com o cidadão. Hoje, se você me perguntar, digo que não é razoável que nós não possamos terminar a obra do VLT. O cidadão tem esse direito, esse dinheiro não é do governador passado. Esse dinheiro é do cidadão”, concluiu Taques. 

Percurso 

Ao longo dos dois eixos do modal, está prevista a existência de três terminais de integração e 33 estações, nos 22,2 quilômetros de trajeto do VLT, que terão uma distância média de 500 a 600 metros entre um ponto e outro. 

Ao longo dos dois eixos, existem cinco viadutos, quatro trincheiras e três pontes.

 

 

Camila Ribeiro 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário