22/09/2011 - Aluno de 10 anos atira em professora e depois se mata com tiro na cabeça

Um aluno de 10 anos atirou contra a professora dentro da sala de aula e depois disparou contra a própria cabeça em São Caetano do Sul, no ABC, na tarde desta quinta-feira (22). De acordo com a Prefeitura, os dois foram socorridos com vida, mas o estudante morreu. A docente, identificada como Rosileide Queiros de Oliveira, de 38 anos, deixou a escola consciente. O motivo do crime não foi informado.

Os disparos foram feitos na Escola Municipal Alcina Dantas Feijão, localizada na Rua Capivari, em Mauá, pouco antes de 16h. No momento em que o menino do 4º ano usou a arma, havia 25 estudantes na classe. A professora foi socorrida pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar, por volta das 16h30.

Ainda de acordo com a nota, o incidente ocorreu pouco antes de 16h. A Prefeitura contou que o aluno “se retirou da sala de aula e disparou dois tiros nele próprio, na cabeça” depois de ter atingido a docente nas costas. O garoto foi atendido no Hospital de Emergência Albert Sabin, onde teve duas paradas cardíacas.

 

G1

Comentários

Data: 23/09/2011

De: Rose

Assunto: crimes na escola

a familia hoje tem deixado de exercer a sua função basica que é de orientar seus filhos. Esta missão a muito tem sido delegada para a escola. A situação é complexa uma vez, que existe uma total desestruturação da celula base da sociedade e não é só por que o conceito de familia mudou, é que o conceito de responsabilidade familiar mudou, pois mesmo em familias que são nucleares, esta se encontra desestruturada. A escola e a familia não sabem mais o que fazer, pois criam mecanismos para punir ( termo considerado antipedagogico) pode constranger a criança, se não faz nada desemboca em situações como foram aqui noticiadas. O proprio ECA estabelece mais direitos do que responsabilidade para crianças, adolescentes e jovens. Ou seja, o que foi instituido para proteger esse grupo de pessoas, tem se tornado a chave para amparar atos barbaros como este. Aliado a isto pode-se dizer que a legislação tutela os atos dos menores. Ao mesmo tempo a gama de informações veiculadas pela midia, principalmente pelos jogos de internet, borbardeiam suas mentes que ainda não estão maturadas para agirem sempre com violencia em resposta situações de opressão que vivam ou penam viver.Discutir as causas disso na esfera social e escolar é a primeira saida para tentar amenizar esta situação. Além disso, voltar a direcionar a conduta desses jovens pela palavra de Deus, que ensina a tolerancia e o respeito a todas as diferenças. E olha, que não estou aqui falando de divulgar esta ou aquela ideologia religiosa, mas ensinar a simple palavra de Deus nas escolas de novo ( como era feito antigamente) primeiro na familia e depois na escola. Pode até parecer dificil mas não é de todo impossivel . tomemos como exemplo a educação ambiental que hoje são os alunos que ensinam aos pais o respeito a natureza e aos animais.

Data: 23/09/2011

De: Robson Lima

Assunto: Responsabilidade

É lamentavel ter que conviver com este tipo de situações diariamente nas escolas de nosso país. O que devemos fazer, para que fatos desta natureza não aconteça mais? Estas coisas está se tornando rotineiro, as autoridades tem que discutir mais a política educacional, a segurança desses profissionais, e fazer com que a familia participe mais das ações sociais, e o ensino volte a ser mais respeitado e valorizado. Discutir a responsabilidade, dividir a responsabilidade, entre o estado, poder público, sociedade. A familia é a pilasta de tudo, porém cabe a ela discutir a relação pais e filhos, respeitando os princiípios constitucionais.
Não podemos deixar que casos de agressões nas escolas contra professores e alunos vire mania nacional. Um abraço a todos

Novo comentário