22/09/2015 - Secretaria nega irregularidade em ligações de Roseli Barbosa

A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos afirmou que não houve irregularidades em relação ao fato de a ex-primeira dama do Estado, Roseli Barbosa, ter feito duas ligações, do telefone do presidio feminino Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, ao seu marido, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Conforme revelou o MidiaNews, a ex-primeira dama pediu, nas ligações, roupas de cama, escova para cabelo e outros objetos, após ser presa, na madrugada do dia 21 de agosto.

Por meio de nota, a secretaria disse que há diversos objetos que são barrados antes de entrar no Sistema Penitenciário. E, quando isso ocorre, o preso recebe o direito de ligar a um familiar para pedir que recolha os itens proibidos; e traga os permitidos. 

“Na madrugada daquele dia, foi o que ocorreu: como alguns dos pertences que se encontravam com a recuperanda [Roseli Barbosa] não podiam passar pelo procedimento da porta de entrada (local são passadas informações sobre quais objetos tem entrada proibida), a direção ofereceu o telefone para que a mesma pudesse solicitar ao seu esposo produtos como escova de dente transparente, entre outros produtos de higiene pessoal”, disse a secretaria.

De acordo com a secretaria, a ligação é feita fora da área de segurança da unidade e acompanhada por um servidor do sistema prisional, “que se certifica de que a ligação transcorreu sem problemas”.

“Este procedimento é oferecido a todo e qualquer cidadão, e não constitui favorecimento para nenhum recuperando”, disse a nota da secretaria.


Interceptações feitas pelo Ministério Público Estadual (MPE), através do Gaeco, com autorização da Justiça, revelam que a primeira ligação foi feita à 1h12 da madrugada.

No telefonema, que durou 02:28 minutos, Roseli pede a Silval que leve até o presídio lençol, toalha, pasta de dente, cobertor, garrafa térmica, chinelo e outros itens. 

Cinco minutos depois, à 01:17 da madrugada, a ex-primeira-dama fez outra ligação ao marido. O telefonema durou 31 segundos.

Nele, Roseli pede que o marido leve até ela uma escova e um “negocinho de amarrar cabelo”.


Confira a íntegra da nota da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos:

"A Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (Saap), vinculada a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), vem a publicar esclarecer o procedimento tomado pela gestão penitenciária quando um cidadão dá entrada em uma das 59 unidades do Sistema Penitenciário de Mato Grosso (Sispen), tendo em vista a veiculação de informação a respeito de ligação feita pela ex-primeira dama do Estado, Roseli Barbosa, na madrugada do dia 21/08/2015.

Na madrugada daquele dia, foi o que ocorreu: como alguns dos pertences que se encontravam com a recuperanda não podiam passar pelo procedimento da porta de entrada (local são passadas informações sobre quais objetos tem entrada proibida), a direção ofereceu o telefone para que a mesma pudesse solicitar ao seus esposo produtos como escova de dente transparente, entre outros produtos de higiene pessoal. 

A ligação é feita fora da área de segurança da unidade, e são acompanhadas por um servidor, que se certifica de que a ligação transcorreu sem problemas. Este procedimento é oferecido a todo e qualquer cidadão, e não constitui favorecimento para nenhum recuperando".

GAC
Assessoria de Comunicação
Sejudh-MT

 

 

Lucas Rodrigues 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário