22/10/2013 - Tropas de elite da PM farão segurança de júri de João Arcanjo Ribeiro em Cuiabá

Policiais da tropas de elite da Polícia Militar, como Batalhão de Operações Especiais (Bope), Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) e Esquadrão Antibomba, vão reforçar a segurança do Fórum de Cuiabá na quinta-feira, 24, durante o júri do bicheiro João Arcanjo Ribeiro, acusado de mandar matar o empresário Sávio Brandão, em 2002. A previsão é que o julgamento dure dois dias.  Arcanjo está preso na penitenciária de segurança máxima em Campo Grande (MS).

 

Conforme o coordenador militar do Tribunal de Justiça, coronel Wilson Batista, os policiais estarão no local do julgamento a partir das 5h recebendo as últimas instruções e fazendo a varredura em todo o prédio. O julgamento terá início às 8h.

 

O assessor militar do Fórum, major Jonildo José de Assis, explica que o controle de acesso ao local também será intensificado e o ingresso à sala do Tribunal do Júri será restrito. Todos que entrarem deverão ter feito pré-cadastro na 1ª Vara Criminal (público em geral) ou na Coordenadoria de Comunicação do TJ (imprensa) e passarão por detectores de metais.

 

Vale ressaltar que as vagas já estão esgotadas e quem ainda tiver interesse deve procurar a 1ª Vara para entrar em lista de espera. Estes só entrarão no ambiente do júri caso haja alguma desistência.

 

Por questões de segurança, somente 90% da capacidade do auditório será ocupada. “Havendo necessidade de esvaziamento imediato é mais fácil quando o ambiente não está lotado”, explica o coronel Batista.

 

O Poder Judiciário está responsável apenas pela segurança no fórum. Já o translado do réu do Aeroporto Internacional Marechal Rondon até o local será feito pelo Setor de Operações Especiais do Sistema Penitenciário, sob gestão da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. A escolta da Penitenciária Federal em Campo Grande (MS) até solo mato-grossense estará a cargo do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

 

A escolta será feita por agentes penitenciários com capacitação para missões de complexidade. Teremos uma equipe de batedores para facilitar o deslocamento no trânsito, como o transporte de qualquer autoridade”, salienta o secretário-adjunto de Administração Penitenciária em substituição legal, major Daniel Lipi Alvarenga.

Além de todo este aparato presencial, qualquer movimentação em torno do fórum será vigiada por agentes no Centro Integrado de Segurança que reúne as imagens do circuito interno de televisão do TJMT, Fórum da Capital e de mais nove comarcas.

 

Informações sobre número de policiais, viaturas que farão a ronda em torno do fórum, horários de chegada e trajeto do réu e testemunhas são sigilosos. 

 

24 Horas News

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário