23/01/2012 - Açougueiro é preso por atentado a bomba contra PM em Campo Verde

 

O açougueiro Jeferson Santos Rodrigues Machado, 22 anos, foi preso na madrugada deste domingo, 22, acusado de jogar uma bomba de fabricação caseira sobre o telhado do prédio da 8ª Companhia Independente de Polícia Militar de Campo Verde. O atentado aconteceu por volta das 3h10 dessa madrugada, quando o policial de plantão ouviu um forte estrondo sobre o refeitório do prédio, localizado no bairro São Lourenço.
 
Um minuto depois, de acordo com o policial Gardez, um homem ligou para a PM e em tom de deboche, fez a seguinte indagação: “Você ouviu o barulho da bomba? Então vá tomar no ....”.
 
Como Jeferson havia sido visto pelo policial de plantão por volta da 1h40 de hoje passando por uma rua próxima à companhia da PM, e na tarde de sábado ele havia sido detido após se envolver em uma ocorrência de trânsito, o militar resolver confrontar o número do telefone de onde havia sido feita a ligação sobre a bomba com o número deixado pelo rapaz na Polícia Civil após o acidente e confirmou que o chamado havia sido feito do celular do açougueiro.
Jeferson foi preço em casa e, segundo as informações da PM, confirmadas pelo padrasto do acusado, reagiu à ação dos policiais. O padrasto do rapaz, que não teve o nome revelado, também acusou os PM´s de terem agido com truculência.
 
Preso na Delegacia de Campo Verde enquanto aguarda transferência para a cadeia pública de Dom Aquino, Jeferson negou as acusações e disse que não atirou a bomba contra o prédio da PM. “Eles não têm prova que fui”, disse ele.
 
O padrasto do rapaz confirmou que o enteado foi o autor do atentado e uma testemunha ouvida pela PC também informou que o açougueiro havia dito depois de ter sido preso após o acidente de trânsito que atentaria contra a PM. O policial que prendeu Jeferson também informou que irá representar contra ele por ameaça.
 
O padrasto do açougueiro Jeferson Santos Rodrigues Machado acusou os policiais de terem agido com truculência ao prenderem o rapaz, principalmente na primeira ocorrência, por volta das 16 horas de sábado. De acordo com ele, que é moto-taxista, os PM´s invadiram sua casa para prender seu enteado.
 
O moto-taxista confirmou que o enteado estava alterado, mas disse que se os PM´s tivessem agido com cautela, o desfecho teria sido outro. O pastor de uma igreja evangélica freqüentada pelo padrasto de Jeferson, e que não quis ter o nome revelado, disse que o rapaz apresentava sinais de agressões por cassetete.
 
De acordo com a Polícia Civil, Jeferson será indiciado por quatro crimes: explosão, danos ao patrimônio público, desacato e ameaça.
 
 
 
Valmir Faria / Folha de Campo Verde

Comentários

Data: 13/10/2015

De: atitude

Assunto: sobre o caso

vcs sao um bando de otarios jornalzinho barrela

Novo comentário