23/02/2011 17h:45 Comércio de MT celebra horário de verão com aumento das vendas

A economia de energia no estado durante o horário de verão 2010/2011 foi de 5,36%, de acordo com a concessionária de energia elétrica Rede Cemat. O objetivo da medida é reduzir a demanda máxima do Sistema Interligado Nacional de energia e evitar que haja sobrecargas, com a máxima utilização da luminosidade natural. “Para o comércio, essa economia costuma ser proporcional a porcentagem declarada pela Cemat, mas o grande diferencial mesmo é a movimentação nas lojas, estabelecimentos de lazer e entretenimento em geral no final da tarde, visto que as últimas horas de funcionamento ainda são em plena luz do dia”, afirma o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL Cuiabá), Paulo Gasparoto.

O gerente de área da Subway, Alex Dias Curvo, fala que a mudança de hábitos durante a troca de horários é nítida tanto com relação aos clientes, quanto com os funcionários. “Nós sentimos aumento na freqüência de clientes, que saem aparentemente mais cedo da escola ou do trabalho e passam na loja, e também uma mudança nos horários em que nós utilizamos mais a luz elétrica, pois no horário de verão, passa a ser ligada mais tarde. Não tenho, em números, o que essas mudanças representaram na conta de energia, por exemplo, mas a gente percebe sim a mudança na troca de horários”.

Para Sandra Casagrande, gerente da Lua de Mel Lingeries e Enxovais, a grande mudança é mesmo com relação ao movimento na loja. “Nós abrimos cedo, no horário normal, mas trabalhamos uma hora a mais durante o horário de verão, então nós atendemos mais clientes”, afirma. “A claridade do dia influencia, sim, de uma maneira ou de outra, porque os clientes saem do trabalho e têm mais tempo para comprar o que querem”. 

Na Luz e Cia., o gerente Wander Magno também diz que o horário de verão não influencia na conta de energia porque, no caso deles, a iluminação é usada para demonstrar os produtos, que são lâmpadas, luminárias, entre outros, e isso não depende da luz do dia. “Nossa conta não tem alteração nenhuma durante o horário de verão porque nós utilizamos um show room para demonstrar nossos produtos. Nós fazemos isso durante o mesmo período de tempo e com os mesmos equipamentos, então, não sentimos diferença alguma”.

De acordo com informações divulgadas pelo Operador Nacional de Sistema Elétrico (ONS), o horário de verão gerou uma economia de cerca de R$ 30 milhões ao sistema esse ano, pois houve menos utilização da energia das termelétricas para atender o consumo das residências e das indústrias.

A economia durante período diário de maior consumo nas regiões Sudeste, Centro Oeste e Sul, onde o horário de verão é aplicado, chegou a 2.376 megawatts (MW), que equivale a 4,4% da carga total utilizada entre o final da tarde e início da noite nessas regiões, diariamente. 

O horário de verão é uma medida do governo federal que estabelece, por meio do Decreto nº 6.558, de 8 de setembro de 2008, o início e o final do período – sempre do terceiro domingo de outubro ao terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. De acordo com o decreto, o final do horário de verão será alterado somente se a data coincidir com o carnaval.