23/02/2011 12H:13 Sargento da PM é assassinado com sete tiros quando entrava em casa

O sargento da Polícia Militar José Braz Santos Neto foi assassinado, com sete tiros, ontem, por volta das 20h30, em Peixoto de Azevedo (710 km de Cuiabá), quando chegava à residência dele, na Rua João Nascimento, no bairro Centro Novo. Três projeteis acertaram a cabeça, dois no tórax e um em cada braço. O policial morreu praticamente na hora.

O principal suspeito de ter praticado o crime é o cunhado dele, Carlos Oliveira Rodrigues. A motivação seria um ‘acerto de contas’ familiar. O sargento teria discutido com a esposa e a sogra e Carlos teria tomado as dores da mãe e da irmã, assassinando o sargento com um revólver calibre 38.

A Polícia Militar foi acionada pelos vizinhos e rapidamente foi até o local, mas quando chegou o acusado já havia fugido. Foram encontradas seis cápsulas e a PM aponta que o atirador recarregou a arma no local. Informações dão conta que o suspeito fugiu em uma moto. A polícia da região norte procura Carlos Oliveira Rodrigues e a suspeita é que ele tenha fugido para Sinop – que fica a 210 km de Peixoto de Azevedo - e diligências são feitas no município.

O sargento era investigado por suposta participação em um arrombamento no Banco do Brasil de Matupá (10 km de Peixoto de Azevedo), no ano de 2009. Santos Neto foi afastado da PM por causa dessa suspeita, inclusive chegou a ser preso a pedido do Ministério Público, mas conseguiu voltar à ativa enquanto as investigações estavam em andamento.

O policial residia em Peixoto, mas estava trabalhando na corporação em Sinop. Santos Neto deixa três filhas.

 

De Sinop - Alexandre Alves