23/02/2013 - Ex-assessor do governo conta à polícia que pagou propina para repórter do Uol

A novela do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Copa promete mais um capítulo agitado nos próximos dias. Desta vez, o tiro é contra o repórter que denunciou ao Brasil que ‘o consórcio vencedor da licitação para as obras do VLT já era conhecido um mês antes da data marcada para a divulgação do resultado’.

O lobista Rowles Magalhães Pereira da Silva, ex-assessor do Governo do Estado teria revelado em um depoimento à Polícia Civil, que pagou propina ao repórter Vinícius Segalla, do site Uol, para que este não publicasse notícias desfavoráveis ao novo sistema. Rowles se disse chantageado pelo jornalista e que acabou acertando o pagamento de propinas mensais no valor de R$ 7 mil. E teria feito pelo menos oito pagamentos ao jornalista.

No relato que foi publicado pela imprensa, nesta sexta-feira, o lobista revelou que foi extorquido pelo jornalista a pagar R$ 500 mil, sob a ameaça de publicação de uma matéria contra ele. O Uol publicou a reportagem envolvendo seu nome, “insinuando o recebimento de propinas”, o que motivou o seu afastamento imediato do cargo de assessor especial do governo.

Procurado pela imprensa, o repórter Vinícius Segalla confirmou ter se encontrado, algumas vezes, com Rowles Magalhães Pereira da Silva e confirmou que se comunicou com o lobista, via e-mail. O jornalista negou que tenha cobrado propina. “É mentira dele. Eu nunca pedi nenhum tipo de propina, nem de R$ 7 mil, nem de R$ 500 mil. O que ele falou é completamente desprovido de qualquer ligação com a realidade”, disse.

Lobista promete falar a ‘verdade dos fatos’

Localizado via telefone pela reportagem do Olhar Direto na noite desta sexta-feira, Rowles Magalhães optou por não falar muito. “A verdade dos fatos vai aparecer. Toda essa história será esclarecida nos próximos dias depois que eu falar com meu advogado”, assinalou. Ele não confirmou que pagou propina ao repórter do Uol para não ser denunciado. 

O lobista também não escondeu sua indignação: “Tive minha vida f... por uma pessoa de sua área (se referindo ao jornalismo) e que fez coisas que não deveria ter feito”.
Rowles polemizou, causou alvoroço no Governo do Estado e acabou sendo exonerado do cargo especial da vice-governadoria por denunciar , em 2012, o esquema de ‘cartas marcadas do VLT’, até ser oficialmente exonerado do cargo.

 

Da Redação - Darwin Júnior

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário