23/02/2016 - Estudantes são vítimas de golpe de falso médico

23/02/2016 - Estudantes são vítimas de golpe de falso médico

A Polícia Civil está investigando o falso médico Darlan Jessie de Oliveira Bolener, que se passava por Jessie Bolener, acusado de crime de estelionato. Ele oferecia bolsas de estudos em uma universidade particular de Cuiabá para estudantes. A estimativa é que ao menos 10 pessoas tenham sido vítimas dele na grande Cuiabá.

Segundo a polícia, ele fazia contato com as vítimas através do facebook, dizendo que tinha uma amiga que trabalhava na instituição de ensino e que ela estava oferecendo bolsas de estudos para qualquer curso exceto medicina e que a pessoa interessada deveria apenas depositar o valor da matrícula para receber as informações do curso e acesso ao sistema da instituição.

Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Até o momento 4 vítimas procuraram a polícia para denunciar o crime, mais como eram ofertadas 10 bolsas de estudos acredita-se que tenha mais pessoas que caíram no golpe e devam procurar a delegacia nos próximos dias.Jessie encaminha até mesmo print de sua conversa com a suposta amiga que atuava na instituição para afastar qualquer suspeita. Ele dizia para as pessoas que trabalhava no Hospital Universitário Júlio Muller. O GD procurou a assessoria de imprensa do Hospital que informou que ele não faz parte do quadro de funcionários.

De acordo com o boletim de ocorrência, as vítimas depositaram R$ 979 e R$ 650 referentes ao valor da matrícula do curso escolhido. Os três amigos F. S P, K. A. M. M. e L. C. S. A. caíram no golpe e só desconfiaram que se tratasse de um criminoso após realizar os depósitos e Jessie não manter mais contato para entrega da matrícula.

Em busca realizada pelo GD ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Jessie é réu em 5 processos sendo três deles pelo crime de estelionato. Em 26 de agosto de 2012, ele foi preso acusa de vender vagas de emprego. Na época o Jornal A Gazeta acompanhou o caso.

Ele também é acusado de praticar estelionato em diversas partes do país. No Facebook é comum encontrar em diferentes cidades e épocas do ano pessoas denunciando ele e relatando serem vítimas de seus golpes. A forma de aproximação é a mesma. Ele se utiliza das redes sociais para manter contato com as vítimas.

Jéssica Moreira, repórter do GD

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário