23/03/2013 - Justiça decreta prisão preventiva de Hudson; cantor é levado para CDP

 

O cantor sertanejo Udson Cadorini Silva, da dupla Edson & Hudson, teve prisão preventiva decretada pela Justiça na manhã de sexta-feira (22), em Limeira (151 km de SP).

Com a decisão, ele não será liberado sob fiança, como havia sido autorizado inicialmente pela Justiça na noite de quinta-feira (21).

 

Hudson foi preso duas vezes na quarta-feira (20), por porte irregular de armas. Na primeira prisão, pela manhã, a Polícia Civil liberou o cantor após ele pagar fiança de R$ 6.000. A segunda prisão ocorreu à noite, e, por incluir armamento de uso restrito das Forças Armadas, Hudson permaneceu na cadeia anexa à delegacia seccional.

 

Na noite de quinta-feira (21), o juiz Rogério Danna Chaib, que analisou a segunda prisão, concedeu liberdade provisória mediante pagamento de nova fiança, de R$ 12 mil, que seria feito nesta manhã. Hoje, no entanto, outro juiz analisou a primeira prisão e decidiu revogar a primeira fiança que já tinha sido paga, assim como a liberdade provisória.

 

 

Essa nova decisão é do juiz Luiz Augusto Barrichello Neto, da 2ª Vara Criminal, e determinou o encaminhamento do cantor à penitenciária por tempo indeterminado. Segundo funcionários da delegacia seccional, ele já foi encaminhado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Piracicaba (160 km de SP).

 

O advogado do cantor, Manuel dos Reis Andrade Neto, não retornou às ligações da reportagem. Ontem, ao pedir a liberdade provisória, o advogado disse que a prisão era abusiva. "Não há argumentação jurídica para manter a prisão de alguém que não tem antecedentes criminais, não cometeu crime de alta periculosidade e tem residência fixa", afirmou.

 

Na casa do cantor, a Polícia Militar encontrou munição de arma calibre 45 e uma luneta, ambos de uso restrito da Polícia Militar e das Forças Armadas. Também foram apreendias uma carabina, uma pistola beretta, outra luneta, além de munição e cápsulas de armas de diversos calibres. O registro da carabina estava vencido e o cantor não tinha documentação do restante do armamento.

 

À polícia, o cantor disse que não sabia que a munição encontrada em sua casa era de uso restrito e afirmou que tinha recebido o material de presente há muito tempo.

 

Escrito por Folha de São Paulo 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário