23/03/2015 - COMITÊ FAZ REUNIÃO E LEVANTA DADOS DA REPRESA DO P.A. BORDOLÂNDIA EM BOM JESUS DO ARAGUAIA.

O Comitê Araguaia, composto de representantes da AMA-Associação dos Municipios do Araguaia, AMM-Associação Matogrossense dos Municípios, Concessionária Energisa e Eletronorte, está literalmente de “vento em popa”. O referido Comitê foi criado quando pela ocasião da reunião do dia 26 de fevereiro próximo passado. Reunião esta provocada pela AMA, com as participações da AMM, Cemat Energisa e Eletronorte, com a finalidade de discutir a situação energética do Araguaia na busca de soluções para os constantes apagões mas, sobretudo visando o aumento da oferta de energia possibilitando atender a demanda da Região que só cresce a cada dia.


Na reunião em Cuiabá, no auditório da AMM, diante as inúmeras reclamações sobre a precariedade do sistema, o prefeito Edson Yukio (o Japonês) de Serra Nova Dourada, numa feliz intervenção sugeriu um estudo sobre a represa do P.A. Bordolândia, localizada em Bom Jesus do Araguaia. “Todos sabem que no passado ali funcionava uma mini PCH. Diante a necessidade da Região porque não os órgãos competentes reativar aquela PCH e oferecer mais energia para os municípios?” – indagou Edson Yukio.


Agora nos dias 10 e 11 de março o Comitê se reuniu em Bom Jesus do Araguaia, precisamente no P.A. Bordolândia. Presentes ao evento o prefeito anfitrião Joel Ferreira, prefeito Leuzipe Domingues, de Alto Boa Vista e a primeira dama Deuza Yukio, de Serra Nova Dourada representando o prefeito Edson Yukio. Participaram ainda representantes da Associação de Fé, Luta e Conquista, dos Pequenos Produtores Rurais do P.A. Bordolândia e da Associação dos Produtores Rurais Amigos da Bordolândia. O Comitê se fez representar pela AMM (Juscelino Fernandes - engenheiro eletricista), AMA (Erviton Furtado - engenheiro ambiental e técnico em eletricidade) e a Concessionária Energisa (Luiz Cláudio – engenheiro eletricista e João Gonzaga, Coordenador de Relacionamento com o Poder Público).


Na reunião o Comitê Araguaia explicou que se trata apenas de um estudo de viabilidade como via alternativa de atendimento provisório. Salientou ainda que o ideal para a região do Araguaia seria a construção do linhão de 230 kv no trecho Paranatinga, Canarana, Alto da Boa Vista a Vila Rica. Esta obra permitiria uma disponibilidade energética para o Araguaia como também melhoraria consideravelmente a qualidade do sistema oferecido hoje pela Energisa. 


Gaspar Lazari, presidente da AMA tem demonstrado preocupação quanto a execução da obra do linhão Paranatinga/Canarana uma vez que o mesmo já foi a leilão por duas vezes sem êxito. Absolutamente ninguém compareceu para concorrer ao certame licitatório. E possivelmente agora em abril haverá nova oferta através de leilão para o mesmo trecho. “Tememos acontecer mais uma licitação deserta, nos deixando mais uma vez no prejuízo, pois a obra que seria a solução do problema energético do Araguaia, se assim acontecer não sairá do papel por enquanto” – argumenta Gaspar Lazari. Eis o motivo pelo qual o Comitê Araguaia está desenvolvendo este estudo da represa do P.A. Bordolândia. Seria uma alternativa emergencial.


Segundo o engenheiro eletricista Juscelino Lima, da AMM; a represa em questão tem capacidade de oferecer energia além do que se encontra instalado. Contudo, é necessário investimentos, reformas e melhorias da PCH. Para o representante da AMA, engenheiro florestal Erviton Furtado, a PCH do P.A. Bordolândia é um caminho, porém não é a solução. “O grande fator a favor desse projeto é a existência da represa com uma PCH desativada” – disse Erviton. Portanto, havendo viabilidade técnica o passo seguinte seria atender aos ditames da legislação pertinente, e evidentemente a garantia dos recursos financeiros para realizar as reformas e melhorias necessárias.


O prefeito de Alto da Boa Vista, Leuzipe Domingues por exemplo reclama energia elétrica para atender ao assentamento Casulo Vida Nova com mais de 100 famílias remanescentes da desintrusão Maraiwatsede.


Para o prefeito Joel Ferreira, de Bom Jesus do Araguaia – a PCH Bordolândia seria a alternativa viável nesse momento para minimizar os problemas energéticos das cidades circunvizinhas.


A represa do P.A. Bordolândia ocupa uma área de 330 hectares. Segundo os moradores mais antigos a represa oferece uma vazão permanente durante todo o ano. 
O Comitê Araguaia antecipa que a represa oferece potencial para mais de 1,5 MW, necessitando de uma reforma e melhorias da estrutura da casa de máquina, de novas turbinas e geradores.


Uma reunião está sendo articulada possivelmente para o próximo mês de abril em Brasília com o ministro das Minas e Energia. Oportunidade em que serão colocados à mesa os problemas e eventuais soluções para o sistema energético do Araguaia.

 

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO AMA.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário