23/03/2015 - Polícia Civil prende pai que estuprava a filha há 12 anos

A Polícia Civil prendeu, na sexta-feira (20), em Cuiabá, um homem de 41 anos, acusado de abusar da filha durante 12 anos.

A vítima tem 18 anos e, depois de 12 anos de violência sexual, criou coragem para denunciar o pai, que foi preso por uma equipe da Delegacia Especializada da Mulher.

Diante da grave denúncia, a promotora de Justiça, Sasenazy Soares Rocha Daufendach, requisitou à Delegacia da Mulher a instauração de inquérito policial e também a prisão temporária (30 dias) do agressor, que foi decretada na quinta-feira (19)

Os policiais cumpriram a ordem judicial e o acusado foi preso no bairro Monte Líbano.

Na Delegacia da Mulher, o inquérito foi instaurado no dia 14 de março, sendo presidido pela delegada Eliane da Silva Moraes

Segundo a delegada Jozirlete Magalhães, a jovem criou coragem para denunciar o pai. A garota ainda carrega um trauma e a delegacia está fazendo acompanhamento psicológico.

A delegada acrescentou que o caso veio a tona no dia 11 de março deste ano. A vítima procurou o Ministério Público e denunciou os abusos sexuais sofridos dentro de casa e praticados pelo pai.

A garota relatou que, aos seis anos, o pai começou a praticar atos libidinosos, como masturbação e carícias pelo seu corpo. 

Quando completou 14 anos, o pai manteve a primeira relação sexual com ela e, a partir daí, não parou mais.

Diante da grave denúncia, o MP solicitou abertura de investigação, que culminou com a prisão.

"Pervertido sexual"

Na delegacia, a garota detalhou como os estupros ocorriam ao longo dos anos. 

"É um pervertido sexual, que mantinha relação sexual com a filha e a mãe todos os dias", disse a delegada. 

A menina contou que as relações sexuais aconteciam todos os dias, em qualquer horário e lugar, dentro da própria casa, na rua, em algum canto escondido ou mesmo no mato, dependendo do momento e de onde estavam. 

Ela acrescentou que, que quando ficava menstruada, o pai dava algum medicamento para cortar o fluxo sanguíneo.

A mãe da garota disse à delegada que somente passou a desconfiar do marido, quando ele começou a demonstrar ciúmes excessivos da filha, há cerca de 3 anos, e tentava buscar ajuda na igreja.

"Há um mês, a filha contou para mãe, que estava tentando flagrar o marido, mas nunca conseguiu porque as relações eram muito rápida", disse Jozirlete Magalhães.

Na delegacia, o homem negou os estupros e alegou a que a filha estaria sendo influenciada por irmão e, por isso, teria feito a denúncia.

Estupro de vulnerável

Em Campo Novo do Parecis (396 km a Noroeste de Cuiabá), um homem acusado de estupro de vulnerável foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na tarde de sexta-feira (20).

J.J.S., 37, foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva, após manter relações sexuais com uma menor de 13 anos.

A adolescente foi ouvida na Delegacia de Campo Novo do Parecis e contou que, no dia 27 de fevereiro, saiu de casa com medo que a sua mãe brigasse com ela e foi até a residência do agressor, que era um conhecido da família e considerado um “tio” da menor.

Aproveitando a situação, o acusado insistiu para que a adolescente passasse a noite em sua casa e dormissem juntos na mesma cama, momento em que aconteceram as relações sexuais.

Diante da narrativa da menor, o delegado Waner dos Santos Neves representou pela prisão do suspeito, que foi prontamente atendida pela Justiça. 

Com a ordem judicial, policiais realizaram diligências e descobriram que o acusado deixou a cidade, logo após cometer o crime.

Os investigadores deram continuidade às investigações e conseguiram localizar o suspeito no município de Nova Olímpia. 

Participaram da operação a equipe de investigadores e escrivães da Delegacia de Campo Novo do Parecis sob a coordenação do delegado Waner dos Santos Neves.

 

 

Adilson Rosa 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário