23/05/2013 - Ex-morador da Suiá Missú enlouquece e, é pego “a laço” próximo ao Posto do Arno

Matenias Jacinto Pires era um pequeno Produtor Rural que morava na antiga Gleba Suiá Missú, ele juntamente com a sua família foram despejados em janeiro deste ano, com a promessa de que iriam receber uma nova moradia em algum projeto de Assentamento do Incra no Brasil, porém até hoje nada saiu das simples promessas, e Matenias estava morando em um barraco de lona em Alto Boa Vista até que há duas semanas “surtou, pirou de vez”, narra os amigos.

 

Matenias ficou desorientado com a desitrusão da gleba, após perder tudo o que construiu ao longo da sua vida, ficou dias sem conversar com a família e amigos, até que certo dia deitou a noite e não amanheceu, “saiu doido no mato”, e foi encontrado dois dias depois com sede e fome próximo a BR 158 no entroncamento com a MT 322, no localidade conhecida como Posto do Arno.

 

Segundo a Secretaria de Saúde de Alto Boa Vista, seu Matenias estava numa situação de surto agudo o que foi preciso ser encaminhado para Goiânia, capital do Estado de Goiás, onde está internato em uma Clínica, aos cuidados de outras pessoas, praticamente abandonado, já que a família não tem condições nem de comprar comida para colocar dentro do barraco de lona em Alto Boa Vista, município que perdeu grande parte do seu território com a demarcação da reserva Marãiwatsédé.

 

Segundo o médico que atende Alto Boa Vista, Ricardo Araújo, o caso do senhor Matenias não é isolado e que diversas pessoas que foram despejadas da Suiá Missú têm procurado as unidades de saúde com problemas psicológicos e que o município não tem dado conta de atender a todos, pois a demanda é muito grande.

 

Outro caso é do senhor Arlindo Alves das Neves, que também está em um clínica em Goiânia com problemas psicológicos, e a família sem condições de dar auxilio.

 

Já Antonio Alfredo de Jesus morreu com depressão após a desintrusão da gleba Suiá Missú, inúmeras pessoas estão com problemas de saúde, e vivem em barracos de lonas, barracões, casas emprestadas e contam agora com a solidariedade para continuar sobrevivendo sem um plano de desintrusão o governo fica calado diante de uma verdadeira “fábrica” de pobres criado após o despejo de mais de 7 mil pessoas que moravam dentro da reserva Marãiwatsédé, e muitos ainda tem esperanças de um dia poder voltar para suas antigas moradias.

 

Escrito por Olhar 21

Commentários

Data: 22/10/2013

De: gosgotft

Assunto: Lululemon Outlet13588


Data: 23/05/2013

De: jose rezende

Assunto: puxa saco....

Só nesse mês de maio ( ainda faltam 07 dias) foram 12 matérias sobre o RIVA aqui nesse site.
Ai gosta do RIVA menino !!!!!!!!!

Data: 23/05/2013

De: calado

Assunto: povo

gente cade o PT (Partido Trabanlhado )
disser que e partido ia tirra o povo da pobreza , da trabalho, da saude, da, moradia , da educaçao.... CADE O PT ?



PT ( Partido Terrorita)
agora coloca o povo pobre , tirra trabalho do povo, tirra saude, tirra moradia , tirra educaçao , tirra dignidade do povo

gente nos somos maioria vaomos tirra esses terrorista

Data: 23/05/2013

De: indginada com essa situação

Assunto: caso de desapropriação

eu fico indgninada com o governo desse país, estão preocupados em fazer tantos campos de futebol para a copa, gastando milhões e milhões, enquanto tiram pessoas de suas vidas e despejam, e depois parecem q não vê e ainda se cala diante da situação. Eu queria ver se essa presidenta barela ia querer passar pelos um dia e dormir junto com eles em barrações de lona e passando necessidade.
DILMA tá na hora de acordar pra vida, de ajudar quem precisa.

Novo comentário