23/05/2014 - Possível greve de militares deixa comerciantes em alerta; CDL exige cumprimento da Lei

O medo dos lojistas é que, com a possível paralisação dos PM’s, as lojas se tornem alvos de saqueadores. Como vem ocorrendo em outros estados, onde a mesma corporação entrou em greve.

 

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Paulo Gasparoto, afirmou que caso aPolícia Militar entre em greve durante a Copa do Mundo, espera que a corporação atenda a exigência da Lei e que mantenha nas ruas o máximo do quadro efetivo, que a Justiça estabelecer. Já que a classe é um serviço essencial para a população.

O medo dos lojistas é que, com a possível paralisação dos policiais, as lojas se tornem alvos de saqueadores, como vem ocorrendo em outros estados, onde a mesma corporação paralisou os trabalhos. Em um vídeo publicado na internet, uma empresa de venda de eletrodomésticos de Pernambuco (PE) foi saqueada por mais de 20 pessoas, tendo um prejuízo enorme.

Segundo Gasparoto, a CDL considera legítimo a categoria reivindicar pelos seus direitos, porém, caso os policiais entrem mesmo em greve, os comerciantes podem ter enormes prejuízos. 

“No caso da greve dos policiais, se for deflagrada, teremos aumentados os problemas que já são graves, como a falta de segurança pública. Sendo que temos um alto índice de roubos, furtos e homicídios em Cuiabá e Várzea Grande (Somente neste ano as duas cidades registraram mais de 150 assassinatos). Com isso, o quadro pode piorar, causando incalculáveis prejuízos”, destacou.

Já para o dono de uma óptica, localizado na região central da capital, que não quis se identificar, revela que está com medo da possível greve dos militares. Para ele, muita gente de má índole irá aproveitar da ‘falta de segurança’, devido a paralisação dos PM’s, para saquear comércios ‘vulneráveis’. “Caso ocorra mesmo a greve, não descarto a possibilidade de arcar com uma segurança privada para proteger meu comércio”, destacou.

O empresário ainda revelou que outros comerciantes estão pensando na mesma alternativa. “Na dúvida do possível ataque ou não, vamos procurar essa alternativa, da segurança privada. Porém, ainda pensamos que o Governo vai acertar todas as pendências com a classe, para que ela não busque essa alternativa, da segurança privada. Porém ainda pensamos que o Governo vai acertar todas as pendências com a classe e não entrar em greve”, falou.

INSEGURANÇA DOS TURISTAS

A possível greve fez 21 investidores japoneses questionarem o governador Silval Barbosa (PMDB), sobre a segurança de turistas que vierem ao Estado durante a Copa. No entanto, o peemedebista foi enfático e ‘garantiu’ a proteção de todos. Já que o Ministério da Justiça atendeu seu pedido e deve enviar cerca de 1600 homens do Exército Brasileiro, Aeronáutica e Marinha para reforçar a segurança entre os dias 11 e 26 de junho.

O pedido de Barbosa foi acatado pelo órgão federal e registrado no Diário Oficial da União, que circulou no dia 13 deste mês. 

Além do ‘reforço federal’ na Segurança Pública, o Estado deve remanejar de outros municípios para os polos de Cuiabá e Várzea Grande, vários policiais militares, civis e bombeiros. Já que atualmente, o efetivo da PM é de 7 mil policiais, distribuídos em 141 cidades. Desse total, 3,1 mil estão lotados em batalhões da capital e 768 no município vizinho. Já a PC têm 2.633 servidores, entre escrivães e investigadores.  

POSSÍVEL GREVE

Na sexta-feira (23), às 9h, no Palácio Paiaguás representantes da Associação os Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros irão se reunir com o secretário da Casa Civil, Pedra Nadaf, para discutir um possível reajuste no salário dos servidores das duas classes.

 


DA REDAÇÃO

Comentários

Data: 24/05/2014

De: Maurição- Barra do Garças

Assunto: Pior salario do Pais...

Hoje a PM de Mato Grosso recebe uns dos piores salários do País, então eu acho que a unica solução seria a greve para mudar essa imagem..Não sou na favo, mais para melhoria da segurança seria o único jeito...

Novo comentário