23/06/2014 - "Em 8 anos como senador, Jayme não ajudou VG em nada”, diz Walace

Após um ano e seis meses à frente da administração municipal de Várzea Grande, o prefeito Walace Guimarães (PMDB) - que vem enfrentando desaprovação por parte dos servidores e da sociedade - afirmou que a população de Várzea Grande ainda vai continuar "pagando caro", por muito tempo, a "correção de atrasos" que, segundo ele, teriam sido deixados pelas gestões anteriores. 

Entram nesse quesito ações como o aumento do IPTU, que em 2014 chegou a 1.000% em algumas regiões. Walace afirmou que as dificuldades são fruto do "sucateamento" em que ele assumiu a gestão. 

As declarações foram dadas ao programa Conexão Poder, da TV Rondon (SBT), que foi ao ar neste domingo.

“Pegamos uma cidade com R$ 406 milhões de dívidas e 100% destruída. Tínhamos buraco até nas avenidas principais, escolas caindo todas precisando de reforma, um pronto socorro obsoleto. Para que eu conseguisse tornar o município adimplente tive que fazer uma negociação de R$ 105 milhões de dívidas do INSS, do PASEP e da Previdência do Município”, disse.

 

O prefeito, que tem como desafeto político o atual senador Jayme Campos (DEM), aproveitou para tecer duras críticas contra o parlamentar, que também já foi prefeito de Várzea Grande. 

Segundo Walace, ele teria abandonado a cidade. "Ele é senador por quase oito anos e não fez nada", afirmou. 

Recentemente, no programa Conexão Poder, Jayme afirmou que faltava humildade ao prefeito, que nunca o teria procurado para pedir investimentos para seu município. Walace contestou a afirmação. 

"Jayme faltou com a verdade, pois eu estive no gabinete dele. Eu estive em todas as reuniões das bancadas federais em Brasília, nas quais ele participou. Ele tem que colocar a mão na consciência e falar o seguinte: eu estou há oito anos como senador e, infelizmente, não consegui ajudar Várzea Grande em nada”, disparou.

Sem emendas

Ainda segundo Walace, o problema político de Jayme não seria só com ele, mas com todos os demais prefeitos que não sejam de seu grupo político, pois ele também não teria disponibilizado emendas para nenhum dos que assumiram após ele deixar a prefeitura.

 

“Jayme não colocou emendas na gestão do Murilo Domingos (PR), alegando que o município estava inadimplente. Mas agora não está mais. Também não colocou quando o Tião da Zaelli (PSD) assumiu, quando o João Madureira (PSC) assumiu, quando o Maninho de Barros (PSD) assumiu. Na verdade, o senador tem que colocar a mão na consciência, pois ele não fez nada por Várzea Grande. Manda ele vir aqui falar o que ele fez. Ele não conseguiu fazer nada e quer imputar a responsabilidade à minha pessoa”, afirmou.

 

 

DO REPÓRTER MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário