23/07/2012 - Investigador da Civil é morto por bandidos durante um assalto

 

A violência avança desenfreada e sem controle das autoridades. Depois de um sábado sangrento quando foram registradas duas execuções em Cuiabá, um domingo foi marcado por mais sangue. Nos dois casos de sábado, mais uma vez surgiu a figura de dois homens em uma moto. Seriam justiceiros?

 Sábado sangrento. Domingo ainda mais violento. Duas pessoas foram assassinadas na noite deste domingo (22). Entre as vítimas está um policial civil, baleado e morto por um bandido durante um assalto. Julho agora já “contabiliza” 27 assassinatos na Grande Cuiabá. Foram quatro assassinatos em menos de 24 horas.

 O investigador Manoel Alves de Almeida (Manezinho), de mais de 50 anos, foi cercado por dois bandidos por volta das 19 horas deste domingo, numa das ruas da Morada da Serra (CPA-), em Cuiabá.

 Os bandidos queriam a moto do investigador. Ao tentar reagir, no entanto, Manoel foi baleado pelo menos duas vezes. Mesmo sendo levado às pressas para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). Manezinho não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 21 horas.

 Dezenas de policiais civis e militares realizam uma “caçada” pelos bairros da região da Grande Morada da Serra, mas ainda não conseguiram pistas dos bandidos que fugiram em outra moto, sem levar a moto do investigador morto.

 O segundo assassinato da noite deste domingo aconteceu por volta das 21h30. O crime,segundo o plantão da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), aconteceu no Residencial Residencial Alipe Novack, no bairro Pascoal Ramos, região do Coxipó, na periferia de Cuiabá.

 A Polícia confirma mais um homicídio. A equipe do delegado André Gonçalves, de plantão na DHPP, já está no local, mas ainda não tem condições de fornecer informações sobre a vítima, principalmente a identificação da vítima.

 Foi o quarto assassinato, segundo a Polícia, em menos de 24 horas na Grande. Os quatro crimes, segunda ainda a Polícia aconteceram entre às 21 horas deste sábado e às 21 horas deste domingo.

 EXECUÇÕES - Mais uma vez as cenas se repetem. Dois homens em uma moto, chegam, atiram, matam uma pessoa e deixam o local como se nada tivesse acontecido. A 25ª vítima de assassinato do mês de julho é um homem de 29 anos. A sociedade está cada vez mais assustada com a violência que já matou 13 pessoas em Várzea Grande e dez em Cuiabá em 22 dias.

Flávio de Santana, de 29 anos estava em bebendo em um bar na Rua São Luiz., no bairro da Lixeira, área central de Cuiabá, quando foi executado.Um dos homens que estava,m em uma moto disparou cerca de oito tiros, gerando pânico e corre-corre no local.

 Santana levou um tiro no peito e já chegou morto ao Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). A execução,segundo a Polícia Militar, aconteceu porta volta das 22 horas deste sábado (21).

 O corpo de Flávio Santana foi liberado por investigadores da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), chefiados pela delegada Anaíde Barros. Flábio foi a segunda pessoa executada no sábado.

 A primeira vítima de dois homens em uma moto foi Rodrigo Gonçalves da Silva, de 24 anos, assassinado com pelo menos seis tiros disparados à queima-roupa.

 A primeira execução, segundo a Polícia, aconteceu por volta das 13 horas em frente ao Bar do Bigode, no bairro Primeiro de Março, na periferia de Cuiabá.

 Rodrigo, segundo a Polícia, era usuário de drogas e tinha passagens pela Polícia por crimes de tráfico de drogas e homicídio. Nos casos, a Polícia trabalha com duas hipóteses: “acerto de contas” ou “queima de arquivo”.

 

José Ribamar Trindade
Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário