23/07/2016 - Pedro Taques inaugura UPA, promete verba e fica próximo do projeto de reeleição de Lucimar

23/07/2016 - Pedro Taques inaugura UPA, promete verba e fica próximo do projeto de reeleição de Lucimar

As conversa ao pé do ouvido e, depois, os passos rápidos do governador José Pedro Taques (PSDB) e do ex-senador Jaime Campos (DEM), durante a inauguração da Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA) do Ipase e, depois, a reforma da ala de pediatria e obstetrícia do Hospital e Pronto-Socorro de Várzea Grande, nesta sexta-feira (22), demonstravam assuntos urgentes. Pedro Taques aproveitou o contato para praticamente sacramentar o apoio do PSDB para a reeleição da prefeita Lucimar Campos (DEM), que não compareceu ao evento por impedimento do Código Eleitoral.
 
Depois de construir sua pré-candidatura ao Palácio Júlio Domingos Fiote de Campos, autorizado pelo Diretório Regional do PSDB, o empresário William Cardoso praticamente deu adeus ao sonho. Pelo menos para 2016. Taques não falou abertamente que o plano de candidatura tucana foi abortado, mas a sua presença para inaugurar obras com Jaime, às vésperas das convenções partidárias, pode ser considerado um autêntico apoio declarado aos Campos.
 
O pré-candidato tucano William Cardoso nem apareceu no evento e teria ido fazer visitas em bairros. Já Lucimar Campos foi trabalhar em seu gabinete, no Paço Couto Magalhães. Além das obras na área de saúde, Taques também fiscalizou a pavimentação da Avenida da FEB, principal via de ligação de Várzea Grande com Cuiabá, semi-destruída para construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), desde as obras da Copa do Pantanal Fifa 2014.
 
Apesar de inaugurada, a Upa do Ipase ainda não recebeu a homologação do Ministério da Saúde, para poder receber os repasses do Governo Federal. No entanto, por entender a importância da unidade para Várzea Grande, o Estado decidiu que realizará o custeio mensal de R$ 1 milhão, até que a unidade seja credenciada, quando o custeio passara a ser rateado entre União (50%), Estado (25%) e Município (25%).
 
“Hoje, nós temos no Brasil quase 180 Upas prontas, porém paradas porque a União não tem condições de realizar o credenciamento. Por conta disso, o Governo do Estado está auxiliando os municípios na alta e média complexidade com os investimentos nas Upas”.

O governador observou que, após a unidade ser homologada, o Estado vai continuar repassando a diferença para o município, porém com o intuito de incrementar o Pronto-Socorro de Várzea Grande. Ele explicou que há mais de 28 anos que o município não recebia uma nova unidade de saúde, desde a construção do Hospital e Pronto Socorro Municipal, em 1987.
 
Na ocasião, Várzea Grande contava com menos da metade do número de habitantes e também não recebia o fluxo tão grande de pacientes do interior do Estado.
 
“Quase 60% do atendimento que é feito em Várzea Grande e Cuiabá são de pessoas que vem do interior. São mato-grossenses como nós, que aqui nascemos ou para cá viemos. Portanto, o Governo do Estado precisa ajudar esses dois municípios a resolver os problemas na Saúde”, justificou o chefe do Poder Executivo.
 
Desta forma, em princípio, a UPA do Ipase contará com seis leitos de observação e dois leitos de estabilização em um total de 20 leitos distribuídos entre masculino, feminino, infantil e isolamento.
 
A unidade terá também um box de urgência, sala de observação, consultórios, sala de inalação, de medicação e sala de vacina (antirrábica e antitetânica).
 
A unidade vai funcionar 24 horas por dia com três médicos no preenchimento dos turnos e ainda atendimento odontológico.
 
Ao todo, 130 servidores, entre médicos, profissionais de enfermagem, vigilante, limpeza trabalharão na UPA.
 
O secretário municipal de Saúde de Várzea Grande, ex-deputado Luiz Vitório  Soares, argumentou que a inauguração da UPA vai desafogar o atendimento do Pronto Socorro Municipal e trazer mais conforto e qualidade para os atendimentos da população, na Cidade Industrial. Ele ponderou que há  também pessoas que recebem tratamento de quase todos municípios do Vale do Rio Cuiabá, que diariamente encaminham pacientes para buscar atendimento médico no município.
 
“Ela vai funcionar como uma espécie de ponte entre as unidade básicas de saúde e o Pronto-socorro, ela é uma unidade pré-hospitalar. Ela está preparada em termos de recursos humanos, equipamentos e estrutura física para prestar serviço para uma população de 150 mil habitantes”, argumentou o secretário de Saúde de Várzea Grande. “Ela é tecnicamente preparada para dar este suporte 24 horas por dias e resolver esses problemas de média e baixa complexidade. Ela também será referência de atendimento do Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência]”, completou Luiz Soares.
 
Ala pediátrica 
 
Na sequência, depois de deixar a UPA Ipase que passou a receber pacientes já nesta sexta-feira (22), Taques e Jaime foram até o Hospital e Pronto Socorro para vistoriar a ala C (pediatria) da unidade que passou por uma reforma completa. Esta é a terceira ala da unidade que foi recentemente reformada.
 
A ala C dispõe de 21 leitos divididos entre pediatria, que conta com 13 leitos, seis leitos de alojamento conjunto, local onde ficarão mães e bebês e ainda dois leitos de isolamento, destinados para pacientes diagnosticados ou com suspeita de doenças infectocontagiosas. Os leitos estão divididos em quatro enfermarias. O espaço conta também com uma brinquedoteca e pintura especial decorada com desenhos e personagens infantis.
 
A reforma da ala começou em maio deste ano e foi orçada em R$ R$ 1,6 milhão. Com a entrega do bloco C, sobem para 95 leitos o número de leitos entregues na unidade. A construtora responsável pela reforma seguirá trabal

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

 

Comentários

Data: 23/07/2016

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Franklin Tavares

A classe média não entende o que significa o país ter saído do mapa da fome... A classe média não sabe o que é fome e não sabe o que mapa e não sabe o que é país... Só entende de shopping, novela, balada e academia... Temos que sair do mapa da alienação e da ignorância; talvez seja mais urgente!!!

Data: 29/07/2016

De: Nancy

Assunto: Re:luisodomingues@hotmail.com

A classe media sabe matematica. O dinheiro arrecadado em impostos nao e' suficiente para cobrir todos os projetos sociais e pagar as dividas do governo (ponto final) Precisa arrecadar mais dinheiro, ou seja, tem muita gente que precisa contribuir para a sociedade em vez de ganhar dinheiro do governo. Projetos sociais so' funcionam quando a maioria esta' empregada e contribuindo, ai' sim teria dinheiro para a educacao, saude, e tambem para os que estao temporariamente sem emprego. O governo Dilma nao fez um bom trabalho em proporcionar oportunidades de trabalho e crescimento, ou simplesmente as pessoas de baixa renda (que sairam do mapa da fome como voce fala) querem continuar como estao, sendo mais ajudadas do que ajudando.

Novo comentário