23/08/2011 - 11h:43 Advogado de MT é detido após desentendimento com tenente da PM

Um advogado acabou preso e algemado durante uma ação da Polícia Militar em Barra do Garças, 503 km de Cuiabá, após um desentendimento com tenente. A confusão aconteceu na central de atendimento da PM, quando os policiais registravam a prisão de dois menores acusados de participarem de um assalto à mão armada.

O tio de um dos acusados L.C.M.B, 16 anos, identificado como Renato, discutiu com o tenente João Paulo por discordar da operação policial e acabou trocando socos com o policial. O advogado Rogério Nóbrega da Silva, responsável pela defesa do menor, estava do lado de fora da central, resolveu entrar e se envolveu na discussão. Ele acabou sendo detido por desacato e desobediência.

O fato gerou revolta de familiares do menor e protesto também da subseção da Ordem dos Advogados (OAB) de Barra do Garças que foi acionada. O presidente Sandro Saggin e mais cinco advogados compareceram na delegacia exigindo a soltura do advogado.

Renato e Rogério afirmam que foram agredidos e já solicitaram o exame de corpo delito. Renato questionou o fato da polícia entrar na sua casa sem mandado de busca e apreensão e ter causado um trauma à família. Segundo o tio do garoto, a discussão iniciou quando questionou o tenente sobre o mandado. O advogado afirma que levou uma gravata e foi agredido pelos policiais quando tentou exercer sua função.

O tenente, por sua vez, nega a agressão e explica que os policiais usaram de força física para conter o ímpeto do advogado e do tio do adolescente que estavam transtornados durante o bate-boca na central. Sobre a situação de ter entrado na casa da avó do menor, o oficial explica que estava no flagrante da ocorrência atrás de objetos do roubo.

A confusão foi parar na delegacia, onde o advogado registrou uma ocorrência por abuso de poder e agressão contra o tenente. O delegado Wilson Villasboas ainda não se pronunciou sobre o caso e aguarda o exame de corpo delito.

O presidente da OAB-BG, Sandro Saggin, acredita que houve um excesso por parte da polícia em algemar o advogado e que a situação poderia ter sido evitada. “O profissional queria conversar com os seus clientes e foi impedido”, ponderou Sandro.

O tenente-coronel Paulo Costa acompanhou a polêmica e atribui o impasse ao fato de familiares e do advogado entrarem na central. “Família e advogado podem acompanhar a distância o trabalho da PM e podem pedir fiança na Polícia Civil, mas eles entraram em bate-boca com os policiais na condução dos detidos. E temos que deixar claro aqui que foram dois acusados de assalto que estavam armados e que bateram na vítima. Não são simples infratores. Eu entendo que os policiais não erraram na ação, mas vamos apurar se houve alguma coisa a Polícia Civil também vai se manifestar”, finalizou Paulo Costa.

O coronel Valdemir Barbosa pediu que o caso seja apurado e destacou que instituição e OAB precisam estar acima deste impasse e deixar claro a função de cada um. “Nós temos que exercer nosso papel de polícia em defesa do cidadão”, completou.

O menor ‘L’ é acusado de ter assaltado uma empresária no bairro Solar Ville, domingo (21), em companhia de outro menor J.C.M.C., 17 anos, levando jóias e dinheiro da residência. A dupla teria usado um revolver no assalto. ‘J’ já cumpriu pena socioeducativa de dois anos por ter assassinado o adolescente Borracha em 2009. A polícia suspeita do envolvimento destes menores em outros assaltos na cidade.

 

De Barra do Garças - Ronado Couto

Comentários

Data: 24/08/2011

De: Onoroso Peregrino

Assunto: Prisão

Esse advagadinho de porta de cadeia já está preso definitivamente por mandado de prisão que se encontrava em aberto em seu desfavor, conforme noticiou o site www.pontaldoaraguaianews.com, de pontal do araguaia.
Ele estava defendendo esses bandidinhos, por que faz parte do grupo.
e a OAB ainda defende um meliante desses ....ah Sandro Saggin !!

Novo comentário

OS COMENTÁRIOS É DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS INTERNAUTAS QUE O INSERIR. O REPÓRTER DO ARAGUAIA ONLINE RESERVA-SE O DIREITO DE NÃO PUBLICAR MENSAGENS COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO, PUBLICIDADE, CALÚNIA, INJÚRIA, DIFAMAÇÃO OU QUALQUER CONDUTA QUE POSSA SER CONSIDERADA CRIMINOSA. OS COMENTÁRIOS QUE CONTER NOS ITENS CITADOS ACIMA SERÃO EXCLUÍDOS. TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO ARQUIVADOS ATRAVÉS DO IP E SERVIRÃO DE PROVAS CONTRA AQUELE QUE USAR ESTE MEIO DE COMUNICAÇÃO.