23/09/2014 - Após movimentar R$ 37 milhões, Secom suspende pagamentos

Ao desembolsar R$ 37.781116,71 milhões de dinheiro público, em apenas 7 meses deste ano, o secretário estadual de Comunicação, jornalista Marcos Lemos, determinou a suspensão imediata de todos os pagamentos aos setores gráfico e publicitário de Mato Grosso. A decisão foi tomada após o portal ODOC e a TV Cuiabá, em parceria com auditores independentes, denunciarem um suposto esquema de lavagem de dinheiro público através de “aquisição” de material impresso e gastos com marketing e publicidade no último semestre de 2014.

Desde o último dia 17, quando foi divulgado o primeiro levantamento contábil da Secom-MT, referente aos meses de junho, julho e agosto deste ano, o titular da pasta tratou de suspender as transferências milionárias às agências e gráficas de Cuiabá. Na última semana, acuado com as reportagens de ODOC,  o secretário Marcos Lemos reduziu drasticamente os gastos com comunicação: Saindo da cifra dos milhões, a Secom pagou apenas R$ 11.507,74 reais para custear pequenas despesas como energia elétrica, combustível e telefonia.

Durante o trabalho de investigação, os nossos auditores ficaram estarrecidos ao rastrearem transferências exorbitantes, da atual administração Silval Barbosa (PMDB), a agências contratadas em regime de RDC (sem licitação). Só a MERCATTO e TIS LTDA, por exemplo, consumiram apenas no mês de maio R$ 4.224.432,96 e R$ 1.079.883,13 milhão, respectivamente. “Trata-se de uma organização muito bem instalada dentro da Secom do Estado. Lá existe um cérebro que lidera o bando, além, de dividir as tarefas, maquiar relatórios e ocultar a origem dos verdadeiros beneficiários do esquema de desvio de recursos públicos”, garantiu o auditor.

O levantamento de ODOC, que mostra a Secom abastecendo com milhões de reais gráficas a agências de publicidade em Mato Grosso, chamou a atenção de um jornal líder em circulação no Brasil. “Recebemos um telefonema, hoje de manhã, de um renomado jornalista investigativo de São Paulo. Ele ficou impressionado com esta denúncia de possível lavagem de dinheiro público aqui no Estado e quer investigar a fundo o caso”, revelou o diretor de jornalismo e programação da TV Cuiabá, Emílio de Moraes.

Apesar de insistente procura, diante da gravidade dos fatos, o secretário estadual de Comunicação, Marcos Lemos, tem evitado atender as nossas equipes de reportagens do portal ODOC, bem como, da TV Cuiabá. “Só o fato de conseguirmos estancar o derramamento de dinheiro público em um esquema sujo e espúrio, já é uma vitória do bom jornalismo. Tenho certeza que o Ministério Público Estadual, seguindo um histórico de ser o guardião da sociedade mato-grossense, tomará como base nas matérias investigativas para desbaratar um forte grupo que lesa o dinheiro do contribuinte”, finalizou o editor geral de ODOC, jornalista Jorge Maciel. 

GASTOS DA SECOM COM GRÁFICAS E AGÊNCIAS

MARÇO – R$ 2.606.610,10

ABRIL – R$ 6.290.482,72

MAIO – R$ 12.998.567,67

JUNHO – R$ 4.696.186,46

JULHO – R$ 3.562.877,71

AGOSTO – R$ 2.739.589,21

SETEMBRO – R$ 4.886.847,93

TOTAL – 37.781.847,71 (MILHÕES)

 

 

Escrito por Editoria O Documento

Comentários

Data: 23/09/2014

De: indio sentribo

Assunto: sinval

O SINVAL TÁ FAZENO O CAIXA DA CAMPANHA DO LÚDIO. PIOR GOVERNADOR QUE EU JÁ VI...

Novo comentário