23/10/2012 Agressivos, Mauro joga com a retórica e Lúdio mostra mais conhecimento

 

Os dois candidatos a prefeito de Cuiabá, em disputa de segundo turno, Mauro Mendes, do PSB, e Lúdio Cabral, do PT, participaram nesta segunda-feira, 22, de debate na TV Record. Por quase duas horas, demonstraram a habitual agressividade de uma disputa eleitoral, com ataques e provocações políticas, com ênfase para a base de apoio em que sustentam suas candidaturas.  Na parte das propostas, porém, pequena vantagem para o petista, que demonstrou mais profundidade no debate contra uma postura mais retórica e superficial do empresário socialista.
 
Durante o debate, Mauro e Lúdio trataram de vários assuntos de interesse da população. Eles discorreram  sobre temas como o caos na saúde pública, a necessidade de avanço na educação, as oportunidades da Copa do Mundo, a questão controvertida relacionada aos serviços de saneamento básico, as dificuldades do cidadão quanto ao transporte coletivo, o  Bolsa Família, os projetos para jovens, entre outros.
 
Lúdio levou ligeira vantagem nesses quesitos. Mostrou mais conhecimento quando falou da educação e dos projetos para o setor. Em um dos momentos, obrigou Mendes a usar a tangente de que “o prefeito não tem obrigação de saber tudo”. Lúdio também discorreu melhor sobre a questão da saúde. Médico há 16 anos, Cabral “atropelou” seu adversário  na parte mais técnica. Mendes foi genérico, conforme o próprio Lúdio observou. 
 
Com uma vivência maior no segmento público, atuando como vereador há dois mandatos, Lúdio foi melhor quando se tratou da questão do transporte coletivo. Puxou o histórico de lutas no segmento, e foi menos óbvio nas promessas de melhoria da qualidade, propagadas por Mendes, que abordou a questão da falta de pontos de ônibus e da necessidade da volta dos cobradores.  Cabral prometeu auditoria no valor das tarifas e assegurou que não tem compromisso com os empresários que exploram o serviço. 
 
Contudo, as discussões de eventuais propostas acabaram sufocadas pelo desejo infame dos dois candidatos de procurar desmistificar aspectos políticiso de lado a lado. A cada pergunta ou resposta, sobraram acusações e provocações. Em determinado momento a agressividade por pouco não transformou a emissora em palco de grosseirias  de parte a parte. 
 
Mauro Mendes, por exemplo,  insistiu várias vezes em cobrar uma posição de Ludio sobre o aumento de repasse para a Assembléia Legislativa em detrimento de mais recursos para a saúde. “ Vou continua denunciando, saúde é mais importante” – disse Mendes, que mencionou uma eventual greve dos médicos programada para esta semana. Cabral retrucou e disse que a paralisação se deve ao não cumprimento de acordos firmados pelo prefeito Francisco Galindo. E atacou: fez questão de destacar o apoio de Galindo ao candidato adversário. 
 
Aliás, tentando descaracterizar o vínculo, Mendes garantiu que Galindo não o apoia e que ele é oposição ao prefeito de Cuiabá. Mendes, contudo, não conseguiu negar que esteja trabalhando com o marketing do radialista Antero de Barros, marqueteiro de Wilson Santos, contra quem combateu em duas eleições. 
 
Ludio também passou boa parte do debate se defendendo ao negar que Eder Moraes, ex-secretário do Governo Blairo Maggi e Silval Barbosa, seja de sua coordenação de campanha.  Mendes insistiu que Eder é quem comanda a campanha de Lúdio, que, por sua vez, garantiu que Moraes o apoia, mas que pertence ao Partido da República, que tem João Malheiros como vice na chapa. Lúdio foi acusado de receber ainda o apoio do presidente da Assembléia Legislativa, José Riva, do PSB. 
 
Lúdio cobrou que Mauro assuma que é a “continuação de tudo aquilo que Cuiabá sofreu”. E foi incisivo: “O senhor tem o compromisso com está há oito anos no governo” - disse. Mendes tentou direito de resposta, mas a emissora se recusou a concedê-lo. Mauro Mendes, então, entre as perguntas temáticas,  disse que o candidato petista estava delirando, e que nunca teve apoio de Galindo. Embora tenha dito que o atual prefeito esteja fazendo coisas de bom como o Poeira Zero.
 
Mauro insistiu em dizer também que a forma agressiva de Lúdio parecia Wilson Santos  e que estava desequilibrado e mencionou que pessoas ligadas ao Legislativo só sabem criticar e têm “muito gogó”. O  petista não deixou por menos e disse  que Mendes estava de bravata aparecendo de dois em dois anos para disputar eleição. Cabral ainda disse que Mendes disputa a eleição pelo poder a qualquer custo e o chamou várias vezes de candidato do poder econômico.
 
Agora, os dois candidatos voltam a se encontrar na quinta-feira, à noite, na  TV Centro América. Antes, eles apelam aos apoios de caciques da política nacional para se garantirem na disputa. Mauro Mendes terá nesta terça-feira o apoio do deputado federal Romário, campeão mundial com a seleção brasileira. Ludio terá nada mais nada menos que Lula engajado em sua campanha na quarta-feira. 
 
 
 24 Horas News/O Repórter do Araguaia

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário