23/11/2015 - Jovem agente da PRF de 29 anos é encontrado morto com tiro de pistola no queixo, de baixo para cima

Um único tiro de pistola em baixo do queixo, de baixo para cima com destruição da massa encefálica e morte instantânea, conforme a reportagel do Portal de Notícias 24 Horas News apurou junto ao Instituto Médico Legal (IML), com EXCLUSIVIDADE.  O corpo de Murilo Strobel, de 29 anos, agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), foi encontrado no final da manhã deste sábado, 21, por volta das 11h20, dentro de um carro de luxo, um Ford Fusion, avaliado em mais de R$ 100 mil parado às margens da MT-251, rodovia que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães (Baixada Cuiabana, a 65 quilômetros da Capital)

 

O corpo foi encontrado banhado de sangue ao volante do carro da vítima, que segurava uma arma de fogo, uma pistola automática, de calibre não fornecido pela Polícia.

 

A vítima era natural de Cuiabá, Mato Grosso, e passou recentemente em um concurso público federal e era o agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Murilo Strobel, lotado na cidade de Altamira, no Pará.

As primeiras informações da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) são de que a suspeita principal é de suicídio. Peritos e técnicos do Instituto Médico Legal (IML), e da Perícia Oficial do Estado (Politec) foram para o local e realizaram os primeiros levantamentos para descobrir as causas da morte.

 

O corpo que estava dentro do veículo Ford Fusion, placa NLY-7771 com as portas trancadas por dentro, foi liberado do local da tragédia para o IML por investigadores da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Apesar de trabalhar com a hipótese principal como suicídio, a Polícia, no entanto, não descarta qualquer outra hipótese, com exceção de latrocínio: roubo seguido de morte devido nada ter sido levado da vítima, pelo menos aparentemente. “Temos fortes indícios de suicídio, mas não descartamos outras hipóteses hipótese”, avaliou um policial.

 

Além da necropsia feita no IML, a Polícia ainda aguarda o resultado do teste residuográfico realizado por peritos da Politec nas mãos da vítima. O exame é para comprovar, ou não, se foi o próprio Murilo que atirou e tirou sua própria vida.

 

 

 

José Ribamar Trindade

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário