23/12/2015 - Taques se reúne com Galindo no Palácio e jantar com Zaque pode selar mudança na segurança

23/12/2015 - Taques se reúne com Galindo no Palácio e jantar com Zaque pode selar mudança na segurança

O  secretário-executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo, se reuniu com o governador Pedro Taques (PSDB) no Palácio Paiaguás, na tarde desta terça-feira (22). Ele é o mais cotado para substituir o atual titular da pasta, Mauro Zaque, que pediu demissão do cargo. Zaque não participou da reunião, como inicialmente havia sido anunciado por Taques, durante entrevista no Jornal do Meio Dia, da TV Record.

Fábio Galindo deixou o gabinete de 
Taques por volta das 17h, pela saída privativa do governador, e evitou a reportagem do Olhar Direto, que estava no local. Em entrevista ao site, Pedro Taquesconfirmou que terá um jantar com Zaque e Galindo, ainda hoje, para discutir a questão. O encontro deve selar o futuro da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), uma das pastas mais complexas do governo. Questionado sobre as mudanças, o governador limitou-se a informar que nesta quarta-feira (23), haverá uma coletiva de imprensa para apresentar dados da pasta.

Na entrevista ao 
Jornal do Meio-Dia, nesta manhã,  ao ser indagado sobre o pedido de exoneração de Zaque, Pedro Taques afirmou que ninguém é insubstituível.  Na sequência, teceu uma série de elogios à atuação da Sesp este ano e atribuiu tanto ao secretário quanto ao adjunto o mérito pela redução dos índices de criminalidade.

“Quero parabenizar Mauro Zaque e Fábio Galindo pelo trabalho realizado, que foi um trabalho forte e, consequentemente, causou polêmica. Os índices revelam que o trabalho foi muito bem feito pelos dois secretários. Mas ninguém é insubstituível. Os cidadãos votaram em mim e no 
Carlão, foi a nossa cara que apareceu nas urnas”, disse, referindo-se ao vice-governador Carlos Fávaro (PSD).

Nos bastidores, a crise entre Mauro Zaque e a cúpula da Polícia Militar é ventilada como causa do pedido de demissão. A relação tem problemas desde que Zaque começou a atuar na pasta, pois a expectativa dos militares era que um coronel da PM assumisse a função. Nos sete anos anteriores, o cargo foi ocupado por integrantes da Polícia Federal, o delegado Diógenes Curado e, posteriormente, o agente Alexandre Bustamante.

Tanto Mauro Zaque quanto 
Fábio Galindo são promotores do Ministério Público Estadual (MPE) - Galindo, no entanto, atua no MPE de Minas Gerais. Ele foi liberado pelo órgão para vir a Mato Grosso participar do governo de Pedro Taques. Além da secretaria-executiva, Galindo também é coordenador do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira). Ele é sobrinho do ex-prefeito de Cuiabá Chico Galindo (PTB).

 

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário