24/01/2011 - 21h:21 Jornalistas são afastados por comentário sexista sobre árbitra

Dois comentaristas da Sky Sports foram afastados indefinidamente pela direção do canal por afirmarem que as mulheres que atuam como árbitro no futebol não conhecem nem sabem aplicar a regra do impedimento.
Andy Gray e Richard Keys transmitiram no sábado o jogo entre Wolverhampton e Liverpool, e quando conversavam antes da partida começar, pensando que seus microfones estavam fechados, afirmaram que a árbitra da partida, Sian Massey, assim como as outras mulheres que fazem essa função, "não conhecem a regra do impedimento".

"Melhor alguém descer e explicar (a Sian) o impedimento", disse Keys, ao que Gray acrescentou: "As mulheres não conhecem as regras do impedimento".

Os jornalistas são dois dos profissionais mais conhecidos da Sky Sports desde que o canal por satélite começou a transmitir os jogos mais importantes do Campeonato Inglês em 1992. Até o momento, seus nomes não estão escalados para a partida da noite desta segunda-feira entre Bolton e Chelsea.

O diretor-executivo da Sky Sports, Barney Francis, informou que foram tomadas medidas disciplinares depois de uma conversa com os jornalistas e de comunicá-los que a direção do canal considera "totalmente inaceitáveis" esses comentários.

"Estes pontos de vista são indesculpáveis e inteiramente contrários a nossa ética como negócio e como empresários. Eles ofenderam muitos dos nossos clientes, nosso pessoal e o público em geral", declarou Francis, que não deu detalhes sobre qual será a punição contra os dois profissionais.

Os comentários causaram reações de rejeição, como a do capitão da Inglaterra, Rio Ferdinand, que através do Twitter manifestou: "Sou completamente a favor de que haja mulheres árbitras no futebol. Não deveria haver discriminação no nosso esporte".

A vice-presidente do West Ham, Karren Brady, disse que seu "sangue ferveu" quando ouviu os comentários. "Acho injusto. Trata-se de alguém que está fazendo um trabalho muito importante em circunstâncias muito difíceis, que merece nosso respeito", afirmou Karren.

Alan Leighton, secretário nacional do sindicato de árbitros, ressaltou que "as mulheres estão no futebol por méritos próprios, já que são avaliadas e examinadas da mesma maneira que os homens".

Efe