24/03/2015 - Expedição do Governo escuta demandas sociais do Xingu

24/03/2015 - Expedição do Governo escuta demandas sociais do Xingu

Durante três dias a expedição do Governo do Estado percorreu aproximadamente mil quilômetros por estradas, em sua maioria de terra, que estão em péssimas condições para o tráfego de veículos, com incontáveis buracos, pontes de madeira deterioradas, lamaçais e atoleiros. O trajeto foi conhecido debaixo de muita chuva, o que só aumentou o desafio da expedição que teve como missão mapear a situação das mais importantes rodovias estruturantes que ligam o Nortão ao Xingu.

 

A viagem por terra foi entre Matupá e Santa Cruz do Xingu, atravessando cidades, distritos e o Parque Nacional do Xingu. Ao longo do percurso, houve uma série de paradas em diferentes localidades para ouvir as principais demandas dos moradores. Em geral, eles relataram as dificuldades para ter acesso a serviços públicos e escoar a safra da região, que é apontada como a última fronteira agrícola de Mato Grosso, estado que detém a maior produção do planeta.

 

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte, minimizar os gargalos logísticos do sistema que é hoje baseado no transporte por rodovias tem sido encarado como uma das prioridades pela atual administração do Estado.

 

“Vamos nos empenhar para reduzir as dificuldades enfrentadas pelos mato-grossenses que vivem nesses municípios. E para cada caso haverá uma solução específica, sempre priorizando as soluções logísticas estruturantes e que tragam um maior respaldo ao social”, afirmou. Para um trecho de estrada de chão de aproximadamente 12 km que é uma importante via entre Matupá e o Distrito de União do Norte, onde vivem mais de dez mil habitantes, o Governo buscará recursos financeiros para pavimentar o local.

 

Já o Gabinete de Desenvolvimento Regional, sob o comando do secretário Eduardo Morura, irá buscar a regulação fundiária da região, um sonho antigo dos moradores. “A ideia deste projeto foi levantada pelo Fundo Amazônia, que busca a regularizar a situação fundiária dos municípios mato-grossenses da Amazônia Legal para que eles nos forneçam recursos para que a gente possa executar esse trabalho”, explicou.

Secretários de Estado, prefeitos, vereadores, deputados e integrantes das equipes técnicas participaram da comitiva, que encerrou o percurso no último domingo (22).

Xingu

A estrada com percurso mais complicado foi a MT-322 (antiga BR-080), que passa pelo Parque Nacional do Xingu e esta repleta de atoleiros. As carretas com cargas e carros pequenos são os que mais sofrem. Durante o percurso, foram vistos caminhões e veículos que ficaram atolados e muitos outros com dificuldades para atravessar grandes lamaçais.

 

Durante os encontros realizados nas localidades, os moradores pediram ao Governo que a rodovia seja federalizada. O secretário Marcelo Duarte se comprometeu em levar a demanda ao governador Pedro Taques, que poderá efetuar a articulação junto à bancada federal de Mato Grosso. “Queremos chamar a responsabilidade do Governo Federal para que contribua com a melhoria desta rodovia, que não passou por manutenções nos últimos anos”, comentou Duarte.

Aldeia

A expedição fez uma parada especial na Aldeia Piaraçu, onde os membros do Governo puderam ouvir as reivindicações dos indígenas. O cacique Megaron Txucarramãe pediu ao Governo a manutenção da balsa que é utilizada para atravessar o rio.

 

A Sinfra vai enviar um mecânico para conferir as condições da balsa e destacar uma patrulha mecanizada para poder minimizar a situação da MT-322 recuperando com pontos com os mais graves atoleiros. “Esperamos que o Governo possa nos ajudar, pois essa estrada é muito importante para os índios do Xingu”, comentou o cacique.

 

Estrada do Guardanapo

“Sabemos das dificuldades que enfrentamentos, mas sabemos do potencial do Araguaia, que, sem dúvida nenhuma, passará a ser a região agrícola de maior crescimento de Mato Grosso. Enquanto secretários, a nossa preocupação por missão dada pelo nosso governador Pedro Taques é buscar o equilíbrio entre as regiões mais pobres e mais ricas do Estado”, declarou o secretário Eduardo Moura.

 

A comitiva seguir a viagem percorrendo um dos principais corredores para o escoamento da safra na região do Araguaia. Passaram pelos 72 quilômetros da ‘Estrada do Guardanapo’ que liga Espigão do Leste (Baianos), distrito de São Félix do Araguaia, até o entroncamento com a BR-158. A estrada é utilizada para retirar a safra das lavouras localizadas desta região, que é uma das que mais cresceu nos últimos anos.

 

Os prefeitos da região cobraram do Governo a estadualização da rodovia, uma antiga reivindicação. O secretário Marcelo Duarte disse que primeiramente será feita uma parceria por meio do modelo de “consórcio” entre o Estado e os produtores, prefeituras e empresários para que seja dada a manutenção na rodovia.

 

Em conversa com lideranças locais, Duarte garantiu que irá lutar pela reconfiguração do MT Integrado. Disse que a partir de estudos técnicos, será analisada a possibilidade inclusão de um trecho no programa localizado na região de São José do Xingu.

 

Já no município de Santa Cruz do Xingu, o Governo poderá retomar as obras na MT-430, na região do Araguaia, que tem financiamento do BNDES e não foram finalizadas na administração anterior. Ainda faltam cerca de 50 quilômetros. Em outras rodovias importantes da região, serão feitas mais parcerias com os produtores rurais em busca de soluções logísticas.

 

“Mais de 70 anos após o início da expedição Roncador-Xingu, liderada pelos irmãos Cláudio e Renato Villas-Bôas, a região ainda permanece selvagem, isolada, mas encantadora. Viemos trazer esperança e soluções para brancos e índios desta região fantástica. O cacique Raoni quer uma balsa nova para a travessia do rio Xingu e os brancos querem estradas melhores. Todos querem uma logística melhor, pois assim terão melhor qualidade de vida e dignidade. Vamos nos enforcar para atender as expectativas e minimizar os gargalos logísticos”, declarou Marcelo Duarte.

 

Lideranças parabenizam

As lideranças políticas que participaram da caravana parabenizaram a iniciativa. “Sei que não é fácil. O Governo não tem uma varinha mágica para resolver os problemas do Xingu. Mas precisamos de estradas, porque por meio delas as coisas acontecem”, disse a prefeita de São José do Xingu, Rosemeire Alves.

 

“Vi essa viagem com expectativa, entusiasmo e otimismo e acredito nesta equipe que acaba de assumir o Governo. E o que nós estamos pleiteando é o benefício para coletividade, que é a melhoria da qualidade das estradas na medida do possível, pois sabemos as dificuldades econômicas do Estado”, declarou o prefeito de Marcelândia, Arnóbio Vieira.

 

“O maior gargalo que temos hoje é a estrada do Guardanapo. É a mais extensa que temos e beneficiará os produtores. São em sua maioria pequenos produtores da agricultura familiar. Só do Distrito de Primavera do Fontoura até Canabrava do Norte nós temos quatro assentamentos. Todos nós dependemos desta estrada, principalmente os produtores de leite”, afirmou o prefeito Valdez Viana.

 

“Acredito que o Governo está no caminho certo e que mudanças serão vistas no futuro”, comentou o prefeito de Santa Cruz do Xingu, Marcos de Sá.

 

 

Sinfra-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário