24/03/2015 - Identificada mulher esquartejada em MT e polícia procura cabeça da vítima

24/03/2015 - Identificada mulher esquartejada em MT e polícia procura cabeça da vítima

A Polícia Civil de Campo Verde (125 km de Cuiabá) realizou diligências no aterro da cidade à procura da cabeça de Alaine Dutra, de 34 anos, esquartejada na semana passada.

Réu confesso da ação, o assaltante José Tavares Santos, de 32 anos, escondeu os membros inferiores da mulher em uma construção, o tronco da vítima foi deixado em um mala em meio a um terreno baldio e a cabeça teria sido colocada em uma sacola de lixo e, possivelmente, coletada pelas equipes de limpeza da cidade.

A prisão dele foi efetuada na data de 19 de março, quatro dias após o desaparecimento da mulher.

“Nós chegamos a realizar uma diligência, mas sem sucesso até porque é preciso considerar que o próprio caminhão da coleta realiza o processo de esmagamento do material recolhido”, explicou ao Olhar Direto, o delegado municipal Fernando Vasco.

Segundo ele, como a família realizou o reconhecimento da vítima por meio de uma tatuagem nas costas de Alaine, o corpo (que estava no Instituto Médico Legal de Primavera do Leste) foi liberado para que o velório e enterro. Ele explicou que os procedimentos legais não sofreram prejuízos devido a não localização.

Ainda conforme o delegado, a mulher morta era natural do Maranhão e estava há poucos dias na cidade. À Polícia Civil, José Tavares declarou que matou a garota porque suspeitava que a mesma tivesse lhe roubado a quantia de R$ 500. Ambos se conheceram quando a garota procurava um local para morar e solicitou informações a José.

Segundo o delegado, o acusado chamou a vítima para entrar e após beberem cerveja juntos, ele desconfiou que ela pegou R$ 500 dele e a esganou. “Ele disse que não se lembra de ter serrado o corpo, mas lembra os locais em que abandonou as partes. As pernas foram abandonadas na obra, o tronco colocado dentro da mala e a cabeça em um saco de lixo”, disse o delegado. Em depoimento, José mostrou-se extremamente tranquilo.

José Tavares, que era foragido da Justiça do estado de Alagoas, foi inicialmente transferido para cadeia pública da cidade de Dom Aquino. Posteriormente, para o presídio Major Eldo Corrêa de Sá (Mata Grande), em Rondonópolis. 

 

 

Olhar Direto

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário