24/04/2013 - Após três décadas de abandono, Noroeste de MT recebe maior volume de investimentos em rodovias

Solicitada pela primeira vez no primeiro semestre de 1982, pelo então deputado estadual Benedito Santiago, a implantação e pavimentação da BR-174 desde Castanheira até Colniza, passando por Juruena, deve se tornar realidade até dezembro deste ano. A projeção partiu do governador silval Barbosa (PMDB), ao lado do ministro César Borges, dos Transportes, parlamentares e secretários de Estado, ao assinar o convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), no início da tarde desta terça-feira (23/04), no Salão Nobre Clóves Vettorato, no Palácio Paiaguás.

No mesmo ato, foi assinado o convênio da segunda etapa da Rodovia BR–158, no Vale do Araguaia, no trecho de Ribeirão Cascalheira até Barra do Garças.

Silval pediu e Borges prometeu atender: a pavimentação da BR 242 de Sorriso até Querência, o Rodoanel de Barra do Garças e a BR-174 de Juina até Vilhena, além da pavimentação de 71 quilômetros de Cáceres até o Porto de Morrinhos, em Santo Antônio das Lendas, viabilizando o escoamento de grãos pela Hidrovia Paraguai-Paraná, na bacia do Prata.


“Mato Grosso é um Estado com produção agropecuária monumental e problemas gigantescos. Então, os nosso pedidos sempre tem dimensões continentais”, justifica Silval, se dirigindo o titular do Ministério dos Transportes.
Pouco antes, na Câmara Municipal de Rondonópolis, Silval e César Borges tinham visitado a Rodovia dos Imigrantes, que margeia a Capital e Várzea Grande, e, ainda, as obras de travessia urbana de Cuiabá. 

Nas primeiras horas da manhã, Borges e Silval assinaram a ordem de serviço para a duplicação da BR-163/364 no trecho de 61 quilômetros, entre Rondonópolis e Jaciara, o que deve facilitar sobejamente o escoamento da produção agrícola de Mato Grosso e dar maior segurança para os motoristas. 

No Salão Clóves Vettorato, Silval preferiu dar ênfase à duplicação dos 23,4 quilômetros da Rodovia dos Imigrantes, por onde passa quase 70% da produção de Mato Grosso. “Sem dúvida, trata-se de uma medica urgente, porque a tendência é de nova quebra de recorde de produção de grãos, em 2014”, projeta o governador.

Cesar Borges se colocou como parceiro de Mato Grosso. Ele recorda que o Estado é responsável por mais de um terço da balança comercial brasileira e que merece tratamento diferenciado do governo federal. Borges aponta a necessidade de integrar a logística de transporte, em caráter de urgência: rodovias, ferrovias e hidrovias.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD), foi quem deu o tom da cobrança pelo asfalto da BR-174 de Juína até Vilhena, em Rondônia. “Mais de 70% do que é consumido no noroeste mato-grossense, principalmente combustíveis, vem de Rondônia”, pontua ele, ao justificar a exigência de agilidade nas ações.

José Riva cita que recebeu informações de casos de pessoas que morreram na estrada, em atoleiros, dentro de ambulância, quando buscavam socorro.

 

Ronaldo Pacheco - Da Reportagem Local

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário