24/04/2015 - Bloqueio dos caminhoneiros irá atingir sete cidades nesta sexta-feira

Em Mato Grosso, foram bloqueados trechos das BR's 163 e 364, nas regiões de Diamantino, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Sorriso e Guarantã do Norte. Segundo o presidente da Associação dos Caminhoneiros de Tangará da Serra, Marcos Vieira, cada um pode protestar da maneira que quiser, seja parado em casa, nos postos, ou, na medida mais drástica, bloqueando as rodovias.
 
“Os protestos vão durar o dia inteiro e só terão fim quando o Governo atender as reivindicações da categoria. Dessa vez a maioria achou melhor ficar nos postos de gasolina para não atrapalhar os motoristas, o importante é que estamos quase todos paralisados” afirmou Marcos.
 
O presidente afirmou que em sua cidade, Tangará da Serra, os caminhoneiros vão bloquear as estradas a partir desta sexta-feira (24).
 
“Os protestos seguem em todas essas cidades sem interrupção. Os maiores bloqueios estão ocorrendo em Lucas do Rio Verde e Rondonópolis, pois são as maiores cidades. Aqui em Tangará começaremos a bloquear amanhã às 7h da manhã” concluiu o caminhoneiro.
 
Em nota, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), deu detalhes sobre todos os trechos bloqueados e informou que apesar dos bloqueios, não há ocorrência de filas ou congestionamentos. Os veículos de carga estão estacionados nas margens da rodovia ou nos pátios de postos. Veículos de passeio, utilitários, carros oficiais e ambulância têm tráfego livre.
 
Confira os trechos que foram interditados nesta quinta-feira.
 
BR 163, km 688, Lucas do Rio Verde;
BR 364, km's 200 e 206, Rondonópolis;
BR 163, km 598, Nova Mutum;
BR 364, km's 614 e 615, Diamantino;
BR 163, km 748, Sorriso;
BR 163, km 1058, Guarantã do Norte.
 
Entenda o caso
 
Os caminhoneiros ficaram insatisfeitos com a resposta dada pelo Governo Federal nesta quarta-feira (22), que afirmou que a imposição de uma tabela de preço do frete é ilegal. Em contrapartida, o ministro Miguel Rosseto, da Secretaria-Geral da Presidência da República, sugeriu criar uma tabela referencial apenas.
 
A categoria havia apresentado uma tabela à Secretaria Geral da Presidência no dia 26 de março, elaborada por um grupo de trabalho formado por representantes da categoria e técnicos do Ministério dos Transportes e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
 
Atualmente, o preço do frete, que é negociado de maneira livre entre contratante e contratado, caiu 37% em todo o país nos últimos cinco meses, segundo informações divulgadas pela Federação dos Transportadores Rodoviários Autônomos do Estado de São Paulo (Fecamsp).
 
 
 
Escrito por THIAGO MATTOS / Hipernotícias

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário