24/05/2011 - 09h:00 Ação de policiais civis mortos em confronto com suposto assaltante de carretas gera controvérsias e incertezas

 A Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) e a Corregedoria Geral da Polícia Civil irão investigar a legitimidade da operação que resultou na morte de dois policiais e deixou um terceiro agente ferido, na tarde desta segunda-feira (23), em Várzea Grande, além de um suposto ladrão de carretas, Gilson Sílvio Alves, que também morreu no confronto. 


Os policiais mortos foram Edson Leite, muito conhecido da população por seu intenso contato com jornalistas das áreas de geral, cidade e polícia, e João Osni Guimarães, conhecido como “Caveirinha”. 

O titular da DHPP, o delegado Antônio Garcia, informou que até o momento as informações sobre o caso são preliminares, controversas e que a legalidade da operação ainda será investigada.

Garcia reforçou ainda que todos os fatos sobre o caso foram obtidos no local da ocorrência, em frente ao Posto 2006, na Rodovia dos Imigrantes, em um momento de exaltação de ânimos, e por isso, não há postura oficial dos fatos. 

A continuidade das investigações será comandada pela delegada Sílvia Pauluzzi, que aguarda alta médica do policial sobrevivente, Maxwel José Pereira, para coleta de depoimento. 

Segundo a versão preliminar da DHPP, Maxwel e Edson Leite teriam feito a abordagem a Gilson Alves, que fugiu em direção a um matagal próximo ao posto. Em seguida, o suposto assaltante de carretas teria entrado em luta corporal com Maxwel e, segundo a DHPP, disparou alguns tiros, acertando os policiais. 

Entretanto, essa versão entra em confronto com a sustentada por familiares de Gilson Alves, segundo os quais a ação policial seria uma represália de “Caveirinha”, a uma denúncia de roubo feita por Gilson, contra um suposto sobrinho. 

Os policiais estavam em um veículo Golf preto, cujas placas não foram identificadas como da Polícia Judiciária Civil (PJC) , o que, para a família, coloca em dúvida a razão da operação.

A DHPP informou também que não há confirmação se Edson Leite teria morrido durante o confronto no posto ou no acidente de carro. 

Contudo,  apurou no local em que o veículo capotou e invadiu uma casa – na avenida Filinto Miller, em Várzea Grande -, que Leite estaria no veículo ainda com vida e chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. 

Caveirinha morreu na hora e Maxwel foi socorrido com vida e encaminhado ao Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande. 

 

Da Redação - Priscilla Vilela

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário