24/07/2013 - Francisco entre nós

Estado teocrático católico apostólico romano, o Vaticano é presidido pelo papa Francisco, o líder espiritual da Santa Sé, que se elegeu ao cargo em 13 de março deste ano após seu antecessor Bento 16 abdicar em razão de sua avançada idade e delicado estado de saúde.

Francisco é o argentino Jorge Mario Bergoglio, que foi exemplo de cardeal humanista e fez de sua trajetória na Igreja até chegar ao papado um culto de amparo aos fracos e oprimidos.

Ao assumir o cetro que a Igreja Católica diz ser do apóstolo Pedro, Francisco não renunciou à simplicidade. Ao contrário, se agarrou ainda mais a ela tanto para si quanto para a suntuosidade do alto clero.

O papa da simplicidade, irmão de continente do Brasil, está entre nós, no Rio de Janeiro, à frente da Jornada Mundial da Juventude, evento que reúne peregrinos de todas as partes do mundo. >>>

O Brasil é laico e sua moderna Constituição abre espaço a todas as formas de pensamento. A índole da população brasileira não tem lugar à intolerância religiosa, muito embora ela aflore isoladamente. Este país plural com bolsões de desenvolvimento e áreas de extrema pobreza, de palacianismo e de casebres, de opulência e miséria, de sonhos e desilusões, recebe Francisco de braços abertos à espera de sua mensagem, de seus ensinamentos.

Francisco deve ser recebido por todos, enquanto líder religioso transformador. Sua opção pelos pobres e sua renúncia à pompa papal o credenciam a elevar sua voz à frente das vozes que ora clamam nas ruas, por um Brasil justo, fraterno e desenvolvimentista.

As 27 unidades da Federação esperam encontrar nos posicionamentos de Francisco o caminho de que precisam em busca do amanhã. Em sua primeira manifestação, diante da presidente Dilma Rousseff e outras autoridades, ele deixou claro que o modelo político universal – e brasileiro de modo especial - precisa mudar, precisa sair das mãos em que se encontra. Numa frase ampla, o líder católico observou em tom recomendatório que “A juventude é a janela pela qual o mundo entra no futuro”.

Mato Grosso não é exceção e também quer se espelhar em Francisco. E por que não seria assim, se esta Terra de Rondon é cenário permanente de injustiças? Ou alguém acha justa a Terra que expulsa trabalhadores de suas casas humildes e demole uma vila inteira com suas escolas, posto de saúde, lares, comércio e igrejas, como aconteceu com Estrela do Araguaia, em Alto Boa Vista e São Félix do Araguaia?

Por ironia ou não, Estrela do Araguaia foi edificada numa área que pertenceu à gleba Suiá-Missú, que na região era conhecida por Fazenda do Papa, porque pertencia a uma multinacional ligada ao Vaticano.

Ouçamos Francisco e nos inspiremos nele. O papa tem muito a dizer sobre o Brasil e o Vaticano em relação aos brasileiros. Que o estilo simples, a fé missionária evangelizadora e a condição de estadista da paz do papa do fim do mundo inspirem ainda mais os jovens para que cada vez mais sejam o caminho que nos leve a um novo país, sem a ostentação palaciana dos poderosos e do clero em sua amplitude.

“A juventude é a janela pela qual o mundo entra no futuro”

 

Escrito por Eduardo Gomes de Andrade/Editorial Diário de Cuiabá  

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário