24/07/2014 - Maior assaltante de banco do país é transferido para MT

Lindomar Almeida, o "Nenezão", é acusado de explodir muro da PCE e assaltar bancos e carro-forte

 
A Justiça da Bahia determinou a transferência para Mato Grosso de Lindomar Alves de Almeida, de 34 anos, apontado como líder dos assaltos a banco na modalidade “Novo Cangaço", em várias cidades do país.

Conhecido como "Nenezão", Lindomar, que era agricultor, foi preso em novembro de 2012, na cidade baiana de Feira de Santana, durante a Operação "Lampião", numa ação conjunta das polícias civis de Mato Grosso e da Bahia.

Considerado o maior assaltante de banco do Brasil, Lindomar de Almeida tem oito mandados de prisão em abertos e estava foragido da Justiça desde 2004, quando fugiu do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), a antiga Cadeia do Carumbé.

Tendo em vista que ele responde a vários inquéritos por assalto e, em várias ocasiões, foi recambiado para Cuiabá, para prestar depoimento, no último dia 16, ele retornou em definitivo para a Penitenciária Central do Estado, no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

Desde então, a Secretaria de Estado de Segurança Pública montou um esquema de segurança para evitar a fuga do bandido, uma vez que é considerado de alta periculosidade.

"Nenezão" é um dos acusados de integrar o grupo de presos que, no dia 12 de agosto de 2012, explodiu parte do muro da própria PCE. 
Ele teria financiado parte dos R$ 500 mil para que a ação fosse concretizada, beneficiando integrantes do esquema "Novo Cangaço”.

“Em 2004, ele (Lindomar) conseguiu fugir do Carumbé pelo maior túnel cavado até hoje, e foi um dos coordenadores da explosão do muro do Pascoal Ramos [em agosto de 2012], quando fugiram 35 presos", disse o delegado Flávio Stringueta, chefe da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

Ataques a carro-forte

Além de assaltos a banco, Lindomar é investigado também em dois ataques a carro-forte, ocorridos no final do ano passado, em Mato Grosso. 

No dia 5 de setembro, cinco homens armados com fuzis explodiram um carro-forte,  na BR 163. 

A Polícia calcula que a quadrilha levou pelo menos R$ 100 mil. O carro iria abastecer agências dos Correios que funcionam posto de pagamento do Banco do Brasil, em algumas cidades do Norte de Mato Grosso.

No dia 1º de junho, quatro homens armados com fuzis explodiram outro carro-forte, na mesma rodovia, e levaram todos os malotes com dinheiro. 

O valor roubado foi estimado em R$ 1 milhão. O dinheiro iria abastecer caixas eletrônicos e agências do interior. 

Segundo o GCCO, Lindomar tem oito mandados de prisão decretados pela Justiça de Mato Grosso.

Ele também tem histórico de fugas e de tentativas de fugas, não só em mato Grosso. 

Em março de 2013, tentou fugir do Complexo Penitenciário da "Mata Escura", em Salvador (BA), após explodir o muro da unidade prisional. 

Depois da tentativa, ele foi transferido para uma Penitenciaria de Segurança Máxima, no interior da Bahia.
"Cangaceiros"

Segundo informações da GCCO, Lindomar de Almeida liderava uma uma poderosa organização criminosa que contava com vários integrantes, apelidados de "cangaceiros", por serem originários, na maioria, dos serão do Nordeste.

Além de Mato Grosso, a quadrilha assaltava bancos e carros-fortes na Bahia, Pernambuco, Ceará e Pará. 

O bando é composto por três frentes distintas de atuação: uma célula em estados do Nordeste, uma no Centro-Oeste e no Sudeste do País e outra considerada "itinerante", já que se deslocava por várias partes do Brasil.

Comentários

Data: 25/07/2014

De: IG

Assunto: BOM

Vai virar fichinha comparado com uns políticos do nosso estado kkkk

Novo comentário