24/08/2012 - Mãe denuncia diretora de escola por chamar filho de gordo em MT

 

A diretora da Escola Doutor Hélio Palma de Arruda, em Cuiabá, é suspeita de ofender um aluno de 14 anos por estar sem o uniforme da instituição. Conforme o estudante, ela o chamou de gordo na frente dos colegas, o que o teria deixado traumatizado a ponto de não querer mais ir à escola. Depois disso, a família do garoto buscou ajuda do Conselho Tutelar e registrou um boletim de ocorrência na polícia.
 
A mãe do adolescente, Lenir Costa disse estar indignada com a diretora porque o estudante foi impedido de entrar na unidade e teria sofrido bullying. "Ele ficou chorando e dizendo que a diretora o chamou de gordinho", disse a dona de casa.
Sem querer se identificar, o estudante afirmou ter sido ofendido quando estava saindo do colégio. "Na hora que eu estava indo embora, ela [diretora] falou assim: você é gordo! Você não tem roupa apropriada para vestir não? Não tem roupa apropriada que sirva em você. Fiquei chocado porque acho que ela deveria dar exemplo para os alunos", contou.
 
A mãe do garoto registrou um boletim de ocorrência dois dias depois do ocorrido e a denúncia foi encaminhada ao Ministério Público Estadual (MPE). "Agora cabe ao Ministério Público tomar as providências necessárias e a delegada da Infância e Juventude notificar a diretora para que vá até a delegacia e ao Ministério Público", afirmou o conselheiro tutelar Devair Soares.A diretora da escola, Rosângela Fagundes, no entanto, nega a acusação. Segundo ela, a versão do adolescente não é verdadeira. "Ele esteve aqui na escola na sexta-feira (17) sem uniforme e as regras da escola, que foram definidas em reunião com os pais no início do ano, que é para usar uniforme", argumentou. Ela afirma ainda que quando o aluno vai sem uniforme a direção pede que ele volte em casa e vista o uniforme.
 
Uma lei estadual determina que as escolas conscientizem professores e alunos sobre as consequências do bullying. A direção da unidade deve adotar medidas para prevenir e combater a prática entre os estudantes. "Tem que receber acompanhamento tanto aquele que sofre bullying quanto aquele que pratica o bullying para que essas atitudes não ocorram", reafirmou a secretária. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), essa é a primeira vez que uma diretora é acusada de ofender um aluno. "Não temos nenhum registro de bullying na secretaria por parte de gestores", pontuou a secretária-adjunta de Políticas Educacionais da Seduc, Fátima Rezende.
 
Escrito por G1MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário