24/09/2015 - Quatro homens estão presos na Barra acusados de abusos sexuais a crianças

Um estatística alarmante e que certamente irá preocupar a sociedade de Barra do Garças. No intervalo de 30 dias, foram registrados três estupros a menores e uma de tentativa que resultaram na prisão de quatro homens. Os acusados - por incrível que pareça – são parentes das vítimas como pai, padrasto e até avô.

As vítimas, meninas de 5, 7, 9 e 13 anos de idade. Na quinta-feira (22/09), um pedreiro de 31 anos foi preso acusado de molestar a própria filha de 7 anos. O caso só foi descoberto porque a menina comentou com as coleguinhas da escola. Em represália, o pai ainda deu uma surra na menina por ter comentado o fato.

A direção da escola avisou a mãe a polícia. A menina contou que era molestada desde os 5 anos em que o pai queria que ela fizesse sexo oral com ele. O pedreiro negou o crime, mas está recolhido na cadeia. Em exame, ficaram constatadas as manchas da surra que a menina levou.

Mais três casos foram acompanhados pela Delegacia da Mulher, explica o delegado Heródoto Fontenelle. No dia 01/09, um mototaxista de 57 anos foi preso acusado de estuprar a neta de 13 anos cuja relação incestuosa teria iniciado quando ela tinha 10 ano.

Ainda no início de setembro, um motorista de ônibus foi preso acusado de estuprar a filha da namorada dele, uma menina de 5 anos. Tão logo a mãe descobriu o fato, acionou a polícia e o suspeito foi detido dia 27/08. Exame teria confirmado que a menina sofreu o ato sexual.

E o quarto caso aconteceu também dentro do lar em que a vítima uma garota de 9 anos fora estuprada pelo padrasto que é pedreiro. Neste caso, a polícia percebeu que a menina já tinha um certa afetividade pelo acusado fruto da violência sexual que sofreu.

Nos quatro casos, as mães se demonstraram perplexas e alegam que não tinham conhecimento destes envolvimentos. Hoje, as crianças recebem acompanhamento psicológico e os nomes dos acusados não foram revelados - segundo a polícia - para não causar mais constrangimento para as vítimas.

“Nós temos que agradecer o empenho dos investigadores nestes casos e a rapidez com que o Ministério Público encaminhou os pedidos de prisão confiando em nosso trabalho”, ponderou Fontenelle.

O delegado orientou – principalmente – as mães que fiquem mais atentas no comportamento dos filhos. "Ao observarem qualquer desânimo dos filhos é importante conversar para saber se eles estão com algum problema", comentou. A polícia agradece também a participação das escolas e o Conselho Tutelar no encaminhamento das denúncias de abusos sexuais a crianças e adolescentes. 

 

Araguaia Noticia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário