24/10/2013 - Depois de 11 anos Arcanjo é julgado pelo assassinato do empresário Sávio Brandão;

João Arcanjo Ribeiro, ex-bicheiro e outrora líder do crime organizado em Mato Grosso, senta nos banco dos réus do Tribunal do Júri da Comarca de Cuiabá ,nesta quinta-feira (24), sob a acusação de ser o mandante do assassinato do empresário Sávio Brandão, que era dono do jornal da Folha do Estado.

Brandão foi executado na tarde do dia 30 de setembro de 2002, quando visitava obras da nova sede de seu jornal localizada no bairro Consil. Foram disparados três tiros de pistola 9mm, que atingiram a cabeça do empresário. Segundo testemunhas, dois homens ocupando um moto o aguardavam numa esquina da rua e se aproximaram já atirando.

Conforme a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), a ordem para o assassinato teria sido dada porque o jornal, pertencente a Brandão à época, publicou material desfavorável aos interesses e negócios de Arcanjo, então bicheiro.

O julgamento do Arcanjo é protelado há mais de 10 anos, sempre por força de recursos impetrados pela defesa, que nega de forma veemente a participação do ex-comendador no assassinato.

Antes do início do julgamento a mãe de Sávio Brandão disse ao Olhar Jurídico que está muito emociona, mas que prefere não falar. "Fiz um voto de silêncio", comentou.

Confira em tempo real: 
 

09h44: Arbid pede uma questão de ordem e diz que o Ministério Público Estadual arrolou como testemunha o senador Pedro Taques, que foi quem municiou o delegado Luciano Inácio com informações;

09h43:O delegado da Polícia Civil, Luciano Inácio, é a primeira testemunha; Inácio foi quem investigou o caso;

09h40: Jurados recebem da promotoria e defesa documentos referentes ao julgamento;

09h37: O juiz pede para que o oficial de justiça conduza a primeira testemunha ao Tribunal;

09h30: Membros do júri  fazem o juramento perante os membros do Tribunal: "Assim eu prometo", dizem.

09h22: O júri deve durar pelo menos dois dias; o plenário do Tribunal do Júri está lotado de estudantes, advogados, imprensa e sociedade em geral;

09h15: O juiz faz a leitura para escolha dos sete jurados;  Foram escolhidas cinco mulheres e dois homens.

09h10: Faleiros rejeita as arguições de Arbid, que se irrita e afirma que está acontecendo uma submissão dos direitos do acusado: "Estas rejeições são um “pisoteio ao direito da defesa".

09h07: Arbid argumenta e alega que Arcanjo está sendo prejudicado pelo juízo, que aprovou a substituição de testemunhas;

09h03: O juiz Marcos Faleiros não acolheu os pedidos da defesa para nulidade do julgamento feitos pelo advogado. O magistrado considerou que os questionamentos levantados pelo advogado podem ser apreciados em recurso de apelação, caso o réu seja condenado.

08h59:  O promotor João Augusto Veras Gadelha foi contra os requisitos de Arbid e sustentou que os pedidos não merecem guarida;

08h56: Arbid disse ainda que insiste em ouvir as testemunhas Ronaldo Neves e Maria Laurentina, que não foram localizadas pelo Tribunal;

08h50: O advogado Zaid Arbid, que patrocina a defesa de Arcanjo, pede nulidade do julgamento e afirma que seu cliente teve a defesa cerceada, ao serem indeferidas todas as diligências requisitadas; ele também questionou a extradição de Arcanjo do Uruguai, onde foi preso.

08h45: Familiares de Arcanjo e de Sávio Brandão acompanham o júri; Arcanjo está bem mais magro da época em que foi preso;

08h42: O juiz Marcos Faleiros, vice-presidente do Tribunal do Júri, acaba de dar início aos trabalhos. A assessoria do Tribunal faz a leitura dos nomes dos intimados para serem os jurados;

08h40 - João Arcanjo Ribeiro acaba de entrar na sala do Tribunal do Júri de Cuiabá;

 

Katiana Pereira

Comentários

Data: 25/10/2013

De: eu

Assunto: Pedro taques

Bem pesoal quer um senador porreta esta ai Pedro taques meu voto esta garantido senador.

Novo comentário